Galeria Ondas Grandes - Um dia pra história em Nazaré

“Um dia que, com certeza, entrará para os anais do surf”


As expectativas para o swell da quarta e quinta-feira da semana passada na Nazaré eram altíssimas, pelo tamanho e energia previstos. A quarta-feira foi, de certa forma, decepcionante. O vento muito forte dificultou terrivelmente a vida dos surfistas com pouquíssimas ondas surfadas. No final da tarde, já escurecendo, dois times ainda continuavam no mar, Alex Botelho com Hugo Vau e Eric Rebiere com Axi Muniain.

Ross Clarke-Jones. Foto: Joel Braga.

Ross Clarke-Jones. Foto: Joel Braga.



Hugo surfou uma "Big Mama" que muitos acreditam ter superado o recorde de Garrett McNamara. Mesmo com as preciosas imagens captadas por Jorge Leal, a pouca luz que ainda havia, vinha da direção errada, junto com a nevoa e o vento forte inviabilizaram a documentação mais extensa de um momento especial do surfe de ondas grandes e, me atrevo a dizer, do surfe em geral.

A quinta-feira amanheceu ainda com grandes expectativas, esperava-se menos vento no meio do dia e o apetite dos surfistas não tinha sido saciado na véspera. O pico do swell tinha acontecido na noite da quarta-feira, mas o tamanho e força das ondas era impressionante e prometia uma sessão inesquecível.

Uma legião de fotógrafos e cinegrafistas já estava a postos quando os primeiros jet skis surgiram e o público compareceu em peso.

Os surfistas presentes eram de alto gabarito: Ross Clarke-Jones com Benjamin Sanchis, Sebastian Steudtner com Axi Muniain, Maya Gabeira com Eric Rebiere, Marcelo Luna fazendo trio com Alex Botelho e Hugo Vau, Justine Dupont com Fred David, Toby Cunningham com Andrey Karr, Fabiano Tissot com David Langer e até o português João Guedes ainda se recuperando de uma lesão nas costas.

Maya Gabeira. Foto: Joel Braga.

Maya Gabeira. Foto: Joel Braga.



Os brasileiros tiveram ótimo desempenho: Marcelo Luna surfou uma onda que parecia não acabar mais (depois fiquei sabendo que teve 39 segundos de duração), Fabiano também deixou sua marca e Eric Rebiere colocou Maya numa bomba que poderá levá-la ao Guiness Book of Records como a maior onda já surfada por uma mulher.

Ross Clarke-Jones com seu estilo agressivo de sempre, pegou uma direita enorme, desapareceu atrás do farol reaparecendo outra vez, alguns segundos mais tarde, do outro lado.

Em resumo, um dia que, com certeza, entrará para os anais do surf. Parabéns a todos que participaram do espetáculo.

Joel Braga @joelcbraga

Comentários