Blog do Rico - A etapa do CT de Jeffreys é umas das minhas favoritas

O pico é um dos mais famosos e mais perfeitos point breaks de direita do mundo


Começa na próxima quarta-feira, dia 12 de julho, a sexta etapa do CT 2017, em Jeffreys Bay, na África do Sul, o Corona Open J-bay.

O pico é um dos mais famosos e mais perfeitos point breaks de direita do mundo e é uma das minhas etapas favoritas.

Jeffreys Bay. Foto: WSL Pierre Tostee .

Jeffreys Bay. Foto: WSL Pierre Tostee .



São muitos os fatores que tornam essa uma das ondas mais desafiadoras para os surfistas. Água gelada, forte correnteza e seções que variam muito rápido, com partes de tubos espremidos e rápidos, paredes muito em pé ou seções para cutbacks poderosos.

A onda se divide em três partes: a primeira, Boneyards, que é normalmente mais cheia, Supertubes, trecho rápido e tubular e Impossibles, última e mais rara seção de J-bay.

Poucas vezes eu vi alguém conseguindo surfar e passar a parede da onda nesta última seção de Impossibles. Na verdade, os únicos que eu me lembro de ter visto surfando e passar toda essa seção foram o brasileiro Picuruta Salazar e o sul-africano Shaun Thompson.

Para quebrar Jeffreys de gala, é necessário uma condição mais específica para o pico, portanto, não é tão fácil assim. Todavia, sempre vemos altas ondas nos eventos do CT por lá.

Mick Fanning. Foto: WSL / Kirstin Scholtz.

Mick Fanning. Foto: WSL / Kirstin Scholtz.



Essa vai ser uma etapa que pode selecionar os reais candidatos ao título. Apesar do atual líder ser Matt Wilkinson, não acredito que ele vá manter esse ritmo até o final do circuito.

Os favoritos em J-bay pra mim são: John John Florence, Adriano de Souza, Jordy Smith e Mick Fanning.

Adriano de Souza. Foto: WSL / Kelly Cestari.

Adriano de Souza. Foto: WSL / Kelly Cestari.



Na minha opinião, John John está um degrau acima dos demais e se eu tivesse que apostar em apenas um nome, seria o dele para levar a etapa. Acredito que essa onda se encaixe perfeitamente no seu surf power e progressivo e no seu talento para entubar.

John John Florence. Foto: WSL / Pierre Tostee.

John John Florence. Foto: WSL / Pierre Tostee.



Outros nomes também podem ir bem no campeonato, como Gabriel Medina e Ítalo Ferreira.

Além deles, Filipe Toledo que volta de suspensão e Caio Ibelli que volta de lesão, podem mandar bem nessa direita poderosa e icônica da África do Sul.

Gabriel Medina. Foto: WSL / Kelly Cestari.

Gabriel Medina. Foto: WSL / Kelly Cestari.



O Corona Open J-bay acontece entre os dias 12 e 23 de julho, em Jeffreys Bay, Cabo Oriental, África do Sul.

Aloha e boas ondas!

Rico de Souza

Fonte: Coluna “Nas Ondas” - Jornal Extra.

Veja também:

Comentários