Entrevista - Deivid Silva pronto para o primeiro ano na elite

Atleta da marca PENA trocou uma ideia com a equipe do Ricosurf


Após seis anos participando do circuito classificatório QS ele conseguiu entrar na elite, o CT. Deivid Silva, atleta da marca PENA, de 24 anos, vai fazer parte pela primeira vez da primeira divisão do circuito mundial e está muito ansioso para competir entre os tops.

Deivid Silva campeão na Austrália. Foto: WSL.

Deivid Silva campeão na Austrália. Foto: WSL.



Deivid já venceu seis vezes no QS e tem uma coleção de títulos como amador e profissional. O goofy que vive em Guarujá, São Paulo, trocou uma ideia com a equipe do Ricosurf e falou sobre preparação, etapas que tem mais vontade de competir, quais acha que vai ter mais dificuldade, equipamento etc.

Confira:

Carlos Matias - Como está sendo a preparação para o circuito da elite do surf mundial?

Deivid Silva - Venho me preparando desde dezembro e nem tive férias, pois ainda no Hawaii eu sofri uma lesão no tornozelo na última etapa do QS, em Sunset. Quando começou janeiro eu voltei a treinar forte e estou bem focado e muito ansioso para competir.

Minha preparação é com surf funcional, com meus treinadores Vine e Aline. A preparação está muito boa, bem forte, e eu treino em academia e também faço treinos funcionais. Tudo isso está me dando uma preparação muito boa.

Deivid Silva voa fácil. Foto: divulgação.

Deivid Silva voa fácil. Foto: divulgação.



Vai participar do QS integralmente ou vai escolher as etapas?

Quero competir em todas as etapas de nível 6000 e 10000 do QS, pois como vai ser meu primeiro ano no CT estarei aprendendo, vendo como tudo funciona, mas meu foco é o CT.

Pretendo ter uma boa colocação no CT para não precisar me reclassificar pelo QS. Se eu estiver bem no CT no meio do ano eu vou participar só das etapas do QS de nível 10000, e descartarei as de nível 6000 pra poder me preparar melhor e não me desgastar muito.



Você chegou perto de entrar algumas vezes. O que você acha que fez de diferente no ano passado?

Tive perto de entrar no CT duas vezes e os últimos anos foram de muito aprendizado. Tive derrotas que doeram muito... Eu me preparei melhor para 2018, estava com uma boa cabeça e o nascimento da minha filha me deixou com mais vontade de vencer.

A vitória no início de 2018 (QS 6000 de Manly, Austrália) foi excelente. Nos anos anteriores eu não havia começado bem, então essa primeira posição me deixou mais tranquilo para o resto do ano. No meio de 2018 teve uma etapa de nível 10000 que eu só conseguia chegar nas oitavas, em nono lugar, mas dessa vez eu fiquei em quinto. Foi em Ribeiro D’Ilhas, Portugal, uma onda que gosto muito, e isso me levou para o Hawaii com grandes chances de conseguir a vaga para a elite.

O Hawaii é um lugar que a gente não conhece muito, pois a gente só compete no fim do ano e contra pessoas que surfam ali todo o ano e conhecem muito bem as ondas. Mas eu foquei muito e consegui realizar o sonho de fazer uma final em Haleiwa. Agora quero realizar outro sonho no Hawaii, que é o de fazer uma final em Sunset.

Deivid Silva. Foto: WSL / Masurel.

Deivid Silva. Foto: WSL / Masurel.



Quais etapas você está mais ansioso pra participar?

São duas: Snapper Rocks, na Austrália, e Teahupoo, no Tahiti. Snapper abre o tour da elite e Teahupoo é uma onda que eu não conheço, nunca fui lá, mas sempre ouço falar muito bem do lugar e estou muito ansioso para surfar aqueles tubos. Também posso citar a piscina, o Surf Ranch, que é uma onda que todo mundo que ir, quer ver, surfar, e eu estou muito ansioso para competir lá.

Qual etapa você acredita que vai ter mais dificuldade? Por que? O que pretende fazer pra superar essa dificuldade?

Tem duas etapas: Margaret River, na Austrália, e Teahupoo. Eu nunca fui em Margaret, que é uma região que tem muito tubarão, então já tem esse medo, além das ondas que são muito diferentes. Como disse também nunca fui em Teahupoo, mas quero muito surfar lá. Eu vou tentar chegar umas duas semanas antes no Tahiti pra treinar e conhecer melhor a onda.

Deivid Silva (camiseta branca) ficou em quarto lugar no último QS 10000 de Haleiwa. Foto: WSL / Tony Heff.

Deivid Silva (camiseta branca) ficou em quarto lugar no último QS 10000 de Haleiwa. Foto: WSL / Tony Heff.



Qual sua expectativa para esse primeiro ano entre os melhores?

A expectativa é muito boa, não vejo a hora de estar competindo com eles. A maior parte dos atletas já estão lá há muito tempo e isso vai me dar bastante experiência, pois vou estar ali, vendo tudo, competindo o tour inteiro... Eu já competi duas vezes no CT, as duas no Brasil, mas agora vai ser diferente, pois vou vivenciar o ano todo e isso vai me fazer amadurecer muito. Quero ver como a galera compete, como se comportam, se preparam... Vamos com tudo! Estou muito ansioso para competir na elite.

Como vai ser em relação ao equipamento? Muda muito do QS para o CT?

Eu vou usar os mesmos equipamentos que usei em 2018, pois estou muito confiante com a MP/OLAS Surfboards, do shaper Marcos Pereira, prancha que eu uso desde o ano passado e que está dando muito certo. Ele está fazendo umas pranchas muito boas, pranchas totalmente brasileiras e vou com elas. Estou bem confiante que vai dar certo.

Deivid Silva. Foto: divulgação.

Deivid Silva. Foto: divulgação.



Qual recado você pode deixar para os atletas da nova geração que sonham em entrar para a elite?

Nunca desistir de seus sonhos e estar sempre lutando, pois a vida no surf não é fácil, muitas portas vão se fechar, mas você não pode desistir, tem que tentar ao máximo e se você quer, tem que correr atrás.

Principais títulos de Deivid Silva:

Campeão Paulista Iniciante, em 2008

Campeão Brasileiro Iniciante, em 2009

Campeão Brasileiro Mirim, em 2010

Campeão Paulista Mirim, em 2010

Vice-campeão Grom Search Internacional Bell's Beach, em 2011

Vice-campeão World ISA Junior Panamá, em 2012

Campeão Paulista Júnior, em 2012

Vice-campeão Volcom VQS World Final Fiji, em 2013

Campeão Hainaw Classic China, em 2014 (QS)

Bicampeão Sul-americano Pro Júnior, em 2014 / 2015

Campeão Red Nose Pro Florianópolis, em 2015 (QS)

Bicampeão Casablanca Pro/Marrocos, em 2016 / 2017 (QS)

Campeão Itacaré Surf Sound Festival, em 2017 (QS)

Campeão Hang Loose São Sebastião Pro, em 2017 (QS)

Comentários