Chloé Calmon vence o Noosa Longboard Open na Austrália e lidera o ranking mundial

Carioca venceu na final a havaiana Honolua Blomfield


A vice-campeã mundial Chloé Calmon começou o ano com o pé direito. A carioca, local da praia da Macumba, venceu neste domingo, 10, (horário da Austrália) a primeira etapa do Campeonato Mundial de Longboard, o Noosa Longboard Open, em Noosa Heads, na Austrália, e agora segue como líder do ranking mundial.

Chloé Calmon. Foto: WSL / Barrip.

Chloé Calmon. Foto: WSL / Barrip.



No melhor dia de ondas durante esta etapa, Chloé enfrentou a havaiana campeã mundial em 2017, Honolua Blomfield, em uma bateria de 30 minutos com resultados apertados. Muito à vontade nas ondas do beach break de Castaways, Chloé conquistou a etapa com o somatório 13.66 de suas duas melhores ondas 7.33 e 6.33, enquanto Honolua terminou a bateria com 13.03, somatório de 6.50 e 6.53. As duas já haviam se encontrado em 2017, quando Honolua levou o título de campeã do mundo deixando Chloé com o vice campeonato, pelo segundo ano consecutivo.

Apesar de experiente, Chloé já sabia que o evento, por ser aberto, não seria fácil contando com mais de 50 mulheres e tendo que passar pela nova geração de surfistas que vem chegando com força. "Eu sabia que ia ser muito difícil, mas hoje eu competi com atletas mais experientes no circuito mundial, então além do surf, tinha também muita estratégia de bateria por ser um mar que parava muito tempo, ficava 10 minutos sem vir onda e o vento atrapalhava", explicou.

Chloé Calmon. Foto: WSL / Barrip.

Chloé Calmon. Foto: WSL / Barrip.



Para chegar à final, Chloé deixou para trás duas havaianas e uma americana. Nas quartas de final, ela achou duas boas ondas que lhe renderam um 6.17 e um 7.17, vencendo a atleta Kirra Seale por 13.34 contra 10.73. A disputa pode ser vista neste link
http://www.worldsurfleague.com/posts/375413/noosa-longboard-open-womens-longboard-tour-quarterfinals-heat-2

Já na semifinal, a adversária foi a "rival" Tory Gilkerson, que a derrotou na final do Jeep World Longboard Championship, em 2016, deixando a carioca com a segunda colocação. Dessa vez, Chloé não deixou barato e conquistou uma nota 8.0 que somada ao seu 6.67 eliminou Tory, com 14.67 contra 12.83. VEJA A ONDA.

Chloé Calmon. Foto: WSL / Barrip.

Chloé Calmon. Foto: WSL / Barrip.



"Eu fiquei muito feliz de ganhar essas baterias por que depois da disputa em 2016, aquilo ainda estava um pouco engasgado. E agora vencer a Honolua também, já que ela ganhou o título naquela vez em 2017. Eu sabia que ela era uma das melhores do evento e uma das principais a bater, mas mantendo uma boa estratégia e técnica eu consegui vencer, disse.

Muito feliz também está Ana Calmon, mãe da campeã, que fez questão de ficar acordada para torcer pela filha ao lado do marido Miguel (pai da Chloé), da outra filha Clara (irmã de Chloé), da gata Gaia e do cachorro Rocco. "A família torceu muito daqui (13 horas atrás da Austrália) e estamos super felizes com essa vitória dela. Em um ano onde a consistência e regularidade vai fazer diferença, ela começa com o pé direito. Ela é muito dedicada, corre atrás e merece esse título", comentou.

Honolua Blomfield E Chloé Calmon. Foto: WSL / Barrip.

Honolua Blomfield E Chloé Calmon. Foto: WSL / Barrip.



Masculino

Já no masculino, o Brasil ficou fora da disputa, já que Phil Rajzman e Rodrigo Sphaeir foram eliminados nas oitavas de final. A decisão, disputada minuto a minuto e onda a onda, ficou entre o atual campeão mundial Steven Sawyer, da África do Sul, e o americano Justin Quintal, que levou a melhor somando 16.37 contra 16.10 de Sawyer.

Justin Quintal. Foto: WSL / Barrip.

Justin Quintal. Foto: WSL / Barrip.



O Noosa Longboard Open, que contou com mais de 100 surfistas, entre homens e mulheres de vários países do mundo, aconteceu pela primeira vez em Noosa Heads – a 136 quilômetros de Brisbane (capital de Queensland). O local é um lugar icônico na história do longboard mundial onde há 26 anos rola um dos mais tradicionais festivais de celebração da cultura do longboard, o Noosa Festival of Surfing.

A competição em Noosa Heads faz parte da nova fase do Longboard Championship Tour, elaborada pela World Surf League (WSL). Com a reestruturação, o Circuito segue em agosto para Galícia, na Espanha; Long Island, Nova York, em setembro; e a grande final em Taiwan, na China em dezembro.

A turma brasileira que veio para Austrália era formada por Phil Rajzman, Chloé Calmon, Atalanta Batista, Rodrigo Sphaier, Carlos Bahia, Gabriel Nascimento, Monique Pontes, Wenderson Biludo, Jefson Silva e Eduardo Bagé.

Veja o resumo completo do Campeonato em Noosa:

1° dia: https://ricosurf.com.br/galerias/mundial-long-2019-australia-recebe-1a-etapa-10-brasileiros-disputa

Highlights: Opening Day at Noosa

http://www.worldsurfleague.com/posts/375216/2019-noosa-day-one-highlights

2° dia: https://ricosurf.com.br/noticias/longboard/mundial-long-2019-quatro-brasileiros-avancam-segundo-dia-disputas-noosa

Highlights: Noosa Goes Mobile for Day 2

A drop in swell didn't detract from the action on Day 2 of the Noosa Longboard Open.

http://www.worldsurfleague.com/posts/375333/highlights-noosa-goes-mobile-for-day-2

3º dia: https://ricosurf.com.br/noticias/longboard/mundial-long-2019-brasileiros-sao-eliminados-chloe-calmon-brasil-noosa

Highlights: Day 3 from Noosa

Top action as the Noosa Longboard Open prepares for Finals day.

http://www.worldsurfleague.com/posts/375399/highlights-noosa-prepares-for-finals-day

Comentários