Entrevista: André Luiz Deca volta aos pódios

LONGBOARD


Deca na Praia da Macumba, seu quintal. Foto: Fotocom.net

Nosso entevistado da vez é André Luiz Deka. Oriundo do Terreirão, comunidade do Recreio dos Bandeirantes, Deka, que foi campeão brasileiro de longboard em 2010, está de volta às competições após um período em que se dedicou ao freesurf. E a volta foi produtiva, uma vez que conseguiu ótimos resultados. Confira uma entrevista exclusiva com André Luiz.

 Ricosurf - Como tem sido sua rotina de treinamentos?

Tive muitas dificuldades mas consegui voltar bem tendo bons resultados. Estou feliz pra caramba por voltar em grande estilo. Queria muito agradecer muito às pessoas que acreditam em mim. Consegui ganhar dois eventos no final de 2019, vencendo a categoria Master do Brasileiro de Longboard e fui campeão do festival. Consegui uma vaga para o Panamericano que vai ser realizado no Rio e estou muito feliz.

O estilo é um dos pontos fortes do surfe de Deca -  Foto: arquivo pessoal 

Ricosurf - O que tem feito para manter o surfe no pé?
Começo a treinar a partir das sete, treino até umas nove horas. Depois vou para o trabalho e na hora do almoço faço um surfe quando tem onda. Às vezes rola uma final de tarde também.

Ricosurf - Por quê patrocinar o Deka?
Acredito que meu currículo seja um bom motivo. Fui campeão brasileiro, campeão sul-americano e pretendo voltar a ter vários outros resultados.

Ricosurf - E as pranchas, estão andando bem?
Estou voltando com tudo. O Rico me viu surfando e me emprestou uma prancha que ficou boa mas não foi feita com as minhas medidas. Agora o Rico está produzindo um foguete novo pra mim e tenho certeza que vai ficar muito boa,  pois ele já fez várias pranchas pra mim e sabe o que funciona para meu surfe.

Deca exibe seu troféu de campeão brasileiro de 2010

Ricosurf - Qual seu foco principal atualmente?
Meu foco é no Brasil, focar nos eventos daqui. No final do ano, depois que eu fizer um balanço pretendo fazer uma surfe trip para recarregar as energias.

Ricosurf - Como você vem se adaptando às novas regras da WSL, na qual o estilo clássico é mais valorizado que o progressivo/radical?
Eu vou te falar a verdade, consigo surfar tanto no clássico quanto no radical. Mas as ondas que surfamos aqui no Brasil, pelo menos a maioria delas, pede um surfe mais radical. O estilo clássico é muito bonito e eu curto também, mas ele é melhor aplicado em ondas perfeitas, como Malibu por exemplo. Aqui no Brasil não tem como a gente surfar só no estilo clássico. Não tem como inventar. É difícil conseguir fazer manobras longas de bico em ondas irregulares. Acho que o critério aqui no Brasil tinha que continuar sendo 50% clássico / 50% radical.

Deca prepara para o tubo - Foto: divulgação

Ricosurf - Como você tem trabalhado a parte física?

Sou um cara bem magro e consigo me manter em forma. Gosto de correr na areia e algumas vezes no calçadão. Estou muito bem nesse aspecto.

Ricosurf - Quem são os atletas que te inspiram?
O Marcelo Freitas e o Olimpinho são minhas referências.

Ricosurf - Em termos de nova geração no longboard, como você analisa a cena atual?
Cara, vou ser sincero pra você tá sendo devastador. Os muleque estão surfando muito de longboard. Os pais estão incentivando e os novos talentos vem surgindo. O longboard é algo fantástico, diferente. Eu não consigo viver sem o longboard e estou muito feliz em poder acompanhar o crescimento do esporte.

Deca voltou aos pódios

Ricosurf - Que mensagem você deixaria para quem está lendo sua entrevista?

Surfe é vida, surfe é saúde. Quem pensa em surfar e ainda não surfa, vá para a água!!

Comentários