Na luta pela preservação dos corais e defesa dos oceanos

Depois de passar pela Indonésia, a bióloga e fotógrafa brasileira Adriana Amaral chega ao nosso país para coordenar o intenso trabalho de monitoramento dos corais e saúde marinha


Depois de realizar um trabalho inédito e pioneira na Indonésia, a de monitoramento da saúde dos corais e elaboração do plano de manejo marinho para a região de Mentawai, a  bióloga e fotógrafa brasileira Adriana Amaral contou com o  apoio da Secretraia de Turismo de Mentawai, Desti Seminora, Hanna,  empresários, Jordan e Zack, (Kandui Villas), Uma Lodge Resort, Jusuf, (Bumaken Resort), empresários brasileiros e o Ministro Leonardo Monteiro.

Foto: divulgação.

Foto: divulgação.



Ela  ficou meses  mergulhando em vários pontos da Indonésia fotografando, monitorando a saúde  dos corais de diversas regiões da Indonésia. Constatou que os corais da região de Mentawai eram os mais degradadas, com índice de branqueamento RTN, e estudou as causas dessa degradação.

Depois de verificar que a interferência humana era responsável por 90% desse processo, tomou medidas, com a colaboração do governo e da secretaria de Turismo de Mentawai, para reverter esse processo.

Com a colaboração das autoridades locais, ações mitigadoras foram tomadas, como a proibição da pesca com dinamite,  instalação de uma  base de observação em uma das ilhas para fiscalização e apreensão de embarcações que insistam na prática, forte trabalho de Educação Ambiental, com crianças nativas e a comunidade local, através de palestras em escolas, orfanatos e ilhas, exposição de fotos, e foi criada uma taxa de preservação Ambiental da região, onde os turistas terão que pagar para visitar as Mentawais.

Mas o trabalho, não terminou na Indonésia. A bordo de um veleiro de 50 pés e com uma equipe formada por velejadores, mergulhadores, fotógrafos sub, oceanógrafos e Biólogos Marinhos, Adriana Amaral irá coordenar o intenso trabalho de monitoramento dos corais e saúde marinha, por toda a costa Brasileira, subindo para o Caribe, onde farão toda a comparação da saúde dos corais em todos as regiões, e um forte trabalho de Educação Ambiental, onde o veleiro ancorar.

Foto: divulgação.

Foto: divulgação.



“Tenho velejado e mergulhado constantemente e visto de perto a terrível situação encontrada no Brasil e no mundo em relação ao que o Homem está fazendo com os Oceanos e como a vida marinha esta sofrendo esse impacto. Animais marinhos migratórios por natureza, estão tendo seu ciclo de vida minimizado pela interferência humana. Redes de pesca, lixo e a falta de conscientização das pessoas são os maiores problemas que a natureza, em um todo, enfrenta. Fora projetos ambientais de preservação, que só existem no papel que somente visam lucro”, disse Adriana.

“A bordo do veleiro iremos priorizar o monitoramento dos corais e será feito um intenso e verdadeiro trabalho de Educação Ambiental, todos com o mesmo foco: a luta pela preservação dos Oceanos e da vida Marinha”.

Foto: divulgação.

Foto: divulgação.



Em relação ao trabalho de Educação Ambiental, a meta será a mesma abordada na Indonésia: conhecer para preservar! Ninguém cuida do que não conhece e não aprendeu a amar. Será um trabalho ao longo prazo e o objetivo será monitorar a costa brasileira inteira e depois ir para o Caribe e fazer a comparação da saúde dos corais em todos os lugares e levantamento da fauna marinha, além de Educação Ambiental em todos os lugares.

“Essa luta, não é só minha, é nossa! De todas as pessoas apaixonadas pela natureza e que desejam deixar de herança para os nossos filhos e netos a preservação da  vida nos Oceanos”, finalizou Adriana.

Comentários