http://ricosurf.com.br/themes/ricosurf/

Meio Ambiente - Sócios do ASC deixam as ondas em prol da limpeza da praia

Autor: Administrador
Data da publicação: 13/04/2016 - 13:27h
Parte do lixo catado pelos surfistas locais e voluntários na ação organizada pelo Arpoador Surf Club. Foto: Carolina Siqueira / Ricosurf.

Em um belo domingo de sol e altas ondas no Arpoador, surfistas locais e voluntários se uniram para realizar uma ação em prol do meio ambiente, o Mutirão de Limpeza do Arpoador. Organizado pelo Arpoador Surf Club (ASC), esta ação fez parte do Dia das Boas Ações, que é o maior movimento de mobilização para engajamento social no mundo.

Os voluntários foram divididos em grupos com diferentes áreas de atuação: Praia do Arpoador, Praia do Diabo, Pedras do Arpoador e Parque Garota de Ipanema (no acesso à pista de skate). Todos se impressionaram muito com a quantidade e o tipo de lixo encontrado em um lugar cujo maior valor é a natureza. Como o ser humano é capaz de destruir aquilo que ele mais admira?

As areias das praias foram peneiradas com equipamentos (pás e peneiras azuis) cedidos pela Comlurb, apoiadora da ação. Nas pedras foram utilizadas vassouras de ferro (ancinhos), além de muita disposição!

Seguem alguns relatos dos voluntários sobre o que mais os impressionaram durante a ação:

Roberto Motta (morador): “Eu coletei uma quantidade infindável de guimbas, muita coisa nojenta e fedorenta que não consegui identificar, muita garrafa de água mineral (inclusive algumas cheias) e o mais original: uma calcinha estampada!”.

Ian Cosenza (freesurfer e sócio-colaborador do ASC): “Muito maneiro ver a galera toda unida pelo bem do Arpoador! Em relação ao que mais me impressionou, foi a enorme quantidade de fezes humanas! Acredito que grande parte dos lixos mais pesados e nojentos que retiramos foram deixados ali pelos moradores de rua”.

Rodrigo Curumim (sócio-atleta ASC): “Eu e mais dois voluntários fomos ali pelas imediações da caverna do Diabo e nos deparamos com moradores de rua ainda dormindo e muita sujeira (fezes, absorventes, seringas, roupas sujas, lonas, muitas garrafas plásticas e latas em locais de difícil acesso). Ali nessa localidade é realmente crítico e desde que moro no Arpoador há 30 anos nunca foi feito nada mais efetivo para melhorar a situação. Se ali na cara do gol como no Parque Garota de Ipanema não fazem nada, imagine lá na caverna escondido se vão fazer”.

Foto: Carolina Siqueira / Ricosurf.

Foto: Carolina Siqueira / Ricosurf.



Mario Saladini (sócio-atleta ASC): “No tempo que fiquei coletando no Diabo encontrei vários tipos de resíduos, como latas, copos descartáveis, embalagens de biscoitos e pedaços de isopor. Sempre me impressiono com a grande quantidade de tampas de garrafas PET e de guimbas de cigarro. Aliás, o péssimo hábito dos fumantes deve ser combatido de todas as formas, pois não basta largar na areia, tem que enterrar – o que acaba dificultando ainda mais o trabalho de limpeza das areias”.

Paulinho Guimarães (sócio-atleta ASC): “O que mais me impressionou e acho que as crianças também, foi a sujeira no acesso à pista de skate pelo Diabo, diversos moradores de rua, várias fezes, muita camisinha e guimbas de cigarro. Em alguns lugares o Jean (instrutor de surf) evitou que as crianças fossem, pois as cenas eram mais fortes. Voltando pela ciclovia para casa meu filho perguntou ‘porque não fazemos o mutirão de coleta no resto da praia também, tem muito lixo no caminho todo’. O caminho é este, formar uma geração que tenha mais participação na sociedade e lute pelas coisas em que acreditam”.

Foto: Carolina Siqueira / Ricosurf.

Foto: Carolina Siqueira / Ricosurf.



Para Bruno Richter (sócio-atleta ASC), que junto com a esposa andou por diversos caminhos nas Pedras, o que mais impressionou foi a sujeira nas pequenas grutas (em lugares de difícil acesso), com muito lixo plástico e cacos de vidro de garrafas (cerveja) quebradas, que estão lá há muito tempo. Apesar de muito esforço e vontade, Nobru disse que não conseguiram retirar parte deste lixo, pois o acesso era complicado, e algumas garrafas plásticas estão presas entre as rochas e não saem. A enorme quantidade de guimbas em todo o percurso também impressionou o Nobru, sendo a situação mais crítica em pequenas fendas onde estas ficam presas. Ele sugere colocar pequenas lixeiras de guimbas de cigarro (similares a umas colocadas na Ilha do Mel, de PVC), nestes locais mais isolados inclusive.

Sergio Aguiar, sócio colaborador mais antigo do ASC, também se impressionou com o lixo em locais de difícil acesso: “Se jogassem o lixo no chão ao menos seria fácil de ser coletado pelos garis, mas, eles jogam nos buracos, onde só os animais ou as ondas alcançam”.

Apesar da tristeza em ver o meio ambiente tão degradado, o resultado da ação foi um sucesso! Ao todo foram em torno de 230 pessoas de todas as idades participando do Mutirão, em um belíssimo exemplo de cidadania! E certamente ganhamos novos ativistas (incluindo algumas crianças) para esta causa tão importante. O surfista local Pablo Becker e o barraqueiro PQD foram premiados pelo Instituto E pelo trabalho incansável durante toda a ação, enquanto todos os outros voluntários foram premiados pelo Meu Copo Eco com copos sustentáveis e 100% recicláveis.

As crianças também participaram da ação. Foto: Carolina Siqueira / Ricosurf.

As crianças também participaram da ação. Foto: Carolina Siqueira / Ricosurf.



Para muitos, abrir mão do surf neste domingo não foi nada fácil, mas, esse não era dia de usufruir e sim de dar de volta ao meio ambiente que tanto exploramos.

No fim, uma pegadinha: colocamos uma garrafa PET no chão bem no meio da passagem dos pedestres, entre duas lixeiras da Comlurb, para vermos a reação das pessoas. Dentre muitos que passaram insensíveis ao lixo, um senhor que desviou de seu caminho para recolher a garrafa foi ovacionado como um herói pelos nossos voluntários. “Isso tudo é pra mim?” ele perguntou, e ao receber a resposta afirmativa seguiu seu caminho com um sorriso no rosto. Nós é que lhe agradecemos, amigo.

Veja o vídeo da pegadinha:



O próximo mutirão já tem data marcada: dia 05 de junho (domingo), dia mundial do meio ambiente!

O Mutirão de Limpeza do Arpoador foi uma realização da associação dos surfistas do Arpoador – Arpoador Surf Club (ASC) em parceria com a OsklenSurfing e com as ONGs Atados, Instituto E, Sea Shepherd, SurfRider Foundation, com apoio do Meu Copo Eco e apoio institucional da Subprefeitura Zona Sul e Comlurb.

Agradecimentos especiais: Ana Luiza (Atados), Glenn Suba (SurfRider Foundation), Nina (Instituto E), Oskar Metsavaht e Daniel Reznik (OsklenSurfing), Francisco Morais e Ana Rebouças (Comlurb), Roni Veloso (Sign Center), Luiz Albuquerque (Sea Shepherd), Martin Juflinho (Meu Copo Eco), Bruno Ramos (Subprefeitura Zona Sul), Mexicano, Jean e Scooby (ASC), e todos(as) os(as) voluntários(as).

Parte da galera que participou da ação do Arpoador Surf Club. Foto: Carolina Siq

Parte da galera que participou da ação do Arpoador Surf Club. Foto: Carolina Siqueira / Ricosurf.



Evento: Mutirão de Limpeza do Arpoador

Data: 10 de abril de 2016

Por Guilherme Aguiar





  • Notícias relacionadas

  •  

Outras notícias de Meio Ambiente







Carregando dados...

mail

Cadastre seu email e receba conteúdos exclusivos, promoções e novidades do portal .com



© 2017. Todos os direitos reservados
  • Acompanhe o Ricosurf