Quiosque Rico Point Barra sedia ação de limpeza de praia

Na ocasião também vai acontecer uma roda de conversa sobre sustentabilidade


Com o apoio da Prefeitura do Rio de Janeiro, da Secretaria de Conservação e Meio Ambiente e COMLURB, voluntários do Grupo Sotreq, do Bota pra Girar, do Meu Copo Eco, do Ghost Surf School e muitos outros parceiros irão se reunir na manhã do dia 30 de junho, às 9h, em frente ao novo quiosque do Rico de Souza, o Rico Point Barra para limpar as areias e também conversar sobre sustentabilidade e sobre um novo projeto de engajamento da sociedade para o maior cuidado às praias que o Bota pra Girar começou a costurar com o APA Orla Marítima.

Vamos limpar juntos! Foto: divulgação.

Vamos limpar juntos! Foto: divulgação.



Vale ressaltar que o point foi estrategicamente escolhido, pois por ali, Rico de Souza já está realizando com as crianças atividades de educação ambiental como a que aconteceu recentemente com o replantio da área de restinga adotado por Rico.

Por que vamos limpar juntos?

A atividade lúdica de ação de limpeza de praia está dentro de um calendário internacional de atividades que tem por objetivo sensibilizar os diversos segmentos da sociedade sobre os muitos impactos negativos que os atuais hábitos de consumo estão causando ao meio ambiente, que desdobram, entre outros, em mudanças climáticas e na poluição marinha por plásticos.

Os impacto do Lixo no Mundo - nossa pegada!
 
Para se ter uma ideia, no caso da poluição marinha, segundo pesquisa recente da Associação Internacional de Reciclagem (ISWA), publicada em março de 2018, mais de 25 milhões de toneladas de resíduos plásticos são lançadas anualmente nos oceanos pelo mundo.O trabalho levou em conta estimativas sobre quanto resíduo não é coletado no mundo - algo entre 500 milhões e 900 milhões de toneladas e cruzou esse dado com o mapeamento de pontos de descarte irregular em cidades perto do mar ou de corpos hídricos - daí a estimativa mínima de pelo menos 25 milhões chegando ao mar.
 
No Brasil - O número sugerido de plástico nos oceanos é de 5 milhões. A metodologia adotada foi adaptada pela Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe) - braço da Iswa. Conclui-se que aqui pelo menos 2 milhões de toneladas de lixo podem chegar aos mares. "Se fosse todo espalhado, esse monte de resíduos ocuparia a área de 7 mil campos de futebol", segundo Carlos Silva Filho, diretor presidente da Abrelpe. Vale ressaltar que. áreas alagadas, como Pantanal, Amazônia, muito longes do mar, ficaram de fora do cálculo. Se fossem incluídas, poderíamos chegar a um valor de 5 milhões de toneladas de resíduos. "Para o Brasil, Silva diz que não foi possível estimar exatamente quanto desses resíduos é plástico, mas lembra que 15% do resíduo sólido gerado no Brasil tem essa origem.
 
Nas Praias do Rio de Janeiro - Pensando localmente, quando chega-se às praias - Unidades de Conservação de Uso Sustentável - a situação de poluição espalha-se pelas areais. Segundo Danielle Trindade, gestora da Área de Proteção Ambiental - APA - da Orla Marítima, que compreende as áreas de Copacabana, Ipanema, Leblon, São Conrado e Barra da Tijuca, o grau de contaminação das areias desde o período do Carnaval, é crítico. Segundo o boletim de balneabilidade do Instituto Estadual do Ambiente, as areias de muitas praias estão impróprias.

Segundo o resultado da última gravimetria feito este ano pela Comlurb na praia de Copacabana, foi encontrado uma grande quantidade de canudos plásticos descartados na areia. A análise foi feita com o lixo coletado entre os Postos 5 e 6 de Copacabana, num trecho de um quilômetro de praia. O trabalho também revelou que o plástico foi o componente de maior incidência (24,5%) do lixo praiano. Lá estavam garrafas PET, copos de guaraná natural e mate e, para surpresa dos pesquisadores, os canudos. Eles eram 8,9% do total de plástico ou 3% de todo o lixo retirado no trecho.
 
Vamos limpar Juntos!

Ação como essa está mais que fundamentada e já mobiliza empresas e personalidades - formadores de opinião-. Todos estão dispostos a arregaçar as mangas e engajar a sociedade no ato de cuidar do meio ambiente.

Para Rico de Souza - surfista e empresário que há mais de 30 anos trabalha pela causa do meio ambiente e acabou de aderir ao novo projeto da Área de Proteção Ambiental da Orla Marítima, adotando uma área de restinga na localidade onde está seu quiosque - diz que "iniciativas como mutirões de limpeza ou de plantio são muito importantes. Não vai resolver o problema ambiental, mas se envolvermos todo mundo na preocupação com o meio ambiente e em não sujar as praias, o resultado já é muito positivo. Fica o meu apelo às pessoas, preserve o meio ambiente e as vegetações nativas, deixem nossas praias e oceanos limpos. Aloha, boas ondas!".
 
Para Martin Joufflienau, CEO à frente do Meu Copo Eco, participa de ações de limpeza pelos litorais brasileiros e no Rio de Janeiro "simplesmente a maioria dos resíduos que podem ser coletados nas praias são plásticos descartáveis. Dentro desse volume, grande parte são copos. A missão do Meu Copo Eco é exatamente substituir os copos descartáveis pelos duráveis e criar uma nova cultura de consumo. Estar presente na ações de limpeza, oferecendo um copo eco aos participantes, é uma forma de engajar a todos na missão do Meu Copo Eco.
 
Para Fred Wandeley, á frente da Ghost Surf School "em geral, a sociedade fala, mas pouco faz para mudar... se cada um fizesse a sua parte, o mundo estaria melhor... promover conscientização, inclusão e mobilização de qualquer espécie é o canal que agregará cada vez mais pessoas no mesmo propósito. Eu e esse grupo que se reuniu para Limpar Juntos, já faz parte, mas, quantos mais estiverem juntos, melhor para nós será!
 
Atividade de limpeza de Praia

Começará às 9h. Após capacitação, voluntários receberão instruções. Em seguida, em grupos, vão iniciar a catação. Canudos plásticos e suas embalagens, pequenas hastes plásticas de pirulitos e cotonetes, assim como as guimbas de cigarro são itens que terão foco para remoção. Já as tampas plásticas, quem estará liderando o recolhimento é a Rio de Janeiro Eco Pets, cujo trabalho de coleta foi iniciado em Janeiro. A meta desse projeto para arrecadação do material é de 3 toneladas. O valor negociado com a venda será doado a ONGs de Animais. Em parceria com o Movimento Rio Eu Amo Eu Cuido, serão distribuídas porta guimbas numa atitude de conscientizar os banhistas para o não abandono desse item nas areias da praia.

Serviço:

CADASTRA-SE EM NOSSO EVENTO NO FACEBOOK
 
Ponto de Encontro: @RicoPointBarra Quiosque Barra da Tijuca, Posto5,5 - Rio de Janeiro (RJ), em frente ao condomínio Beton, na Av. Lucio Costa, altura do 3636.
Início da catação: 9h
Roda de Conversa: 10h30
Vistam suas camisas mais confortáveis!
Usem protetor solar!
Usem seus bonés!
A água, os copos reutilizáveis e as luvas são por nossa conta!

Comentários