Ondas Grandes - Calado treina no México para etapa inicial do Big Wave Tour

Carioca de 21 anos é o atual segundo colocado do ranking mundial na categoria de ondas gigantes


No início de 2016, um jovem de 19 anos assombrou o mundo do surfe ao pegar, na remada, uma onda de 60 pés (cerca de 20 metros). O brasileiro Pedro Calado, carioca de Vargem Grande, na Zona Oeste, até então um mero jovem introspectivo, porém destemido, mostrou durante a última temporada que não está no Big Wave Tour, etapa de ondas gigantes da WSL (World Surf League) para brincadeira, e terminou na segunda colocação do ranking mundial, com a expressiva marca de 21.943 pontos. Ele ainda concorreu ao Big Waves Award, o Oscar da categoria.

No último domingo, dia 25 de junho, Calado embarcou para Puerto Escondido, no México, onde acontece a primeira etapa do circuito de 2017. A data máxima para realização da competição é dia 31 de agosto - a janela está aberta desde 1º de junho -, mas a previsão indica um grande swell a caminho, trazendo as ondas perfeitas.

A etapa mexicana é a primeira da três programadas para o ano. Foto: Marcelo Piu.

A etapa mexicana é a primeira da três programadas para o ano. Foto: Marcelo Piu.



Hoje com 21 anos, e apenas cinco anos depois de ter decidido trocar o surfe "tradicional" pelo de ondas gigantes, o carioca chega ao México com outro status, holofotes sobre si e expectativa do tamanho das ondas que surfa.

"Espero que esteja com ondas bem grandes em Puerto, essa é a expectativa de todo mundo. Todos querem que o campeonato aconteça o mais rápido possível, a ansiedade está grande. Tenho acompanhado sempre as previsões e está bombando, com bastante swell de sul, que é ótimo para Puerto Escondido. Minha expectativa é a melhor possível, estou muito animado, e como sempre vou entrar pronto para pegar a melhor onda do dia e ganhar", prevê o surfista.

O surfista foi criado nas praias do Recreio e da Prainha, no Rio de Janeiro. Foto: Marcelo Piu.

O surfista foi criado nas praias do Recreio e da Prainha, no Rio de Janeiro. Foto: Marcelo Piu.



A ida com antecedência para o local da competição será, na visão de Pedro Calado, um diferencial na hora da competição, por conta da ambientação. Como depende, naturalmente, de ondas gigantes, o BWT abre uma janela de três meses para que, dentro deste período, aconteça a etapa. No ano passado, por exemplo, a Todos Santos Challenge, também no México, não foi realizada por ter excedido o prazo sem o surgimento de ondas gigantes.

"É importante passar um tempo treinando, se acostumando com o mar do local", explica o surfista. "A organização costuma dar o sinal para os atletas irem muito em cima da hora, e acabo tendo que sair do meu país para o país da competição totalmente fora do fuso-horário e desabituado com o lugar. Agora chegando antes vou me ambientar, me adaptar à comida diferente, ver a galera, os amigos, e poder no dia estar bem preparado e confiante para vencer", completa.

A janela vai até 31 de agosto e o carioca decidiu ir antes para se ambientar. Foto: Marcelo Piu.

A janela vai até 31 de agosto e o carioca decidiu ir antes para se ambientar. Foto: Marcelo Piu.



Na temporada de 2016, Pedro Calado ficou atrás apenas do sul-africano Grant Baker na classificação final, e à frente de dois dos principais nomes da história da modalidade: o americano Greg Long e o veterano brasileiro Carlos Burle, que decidiu se aposentar, além do australiano Jamie Mitchell. Ao melhor estilo que lhe rendeu o apelido "calado", mantém poucas palavras para analisar a concorrência pelo título.

"Passa pela minha cabeça que vou competir com os melhores do mundo, mas tento sempre abstrair e não pensar nisso. Vou ter adversários que vão me incomodar com certeza, que preocupam, mas vou manter meu foco unicamente em conquistar o campeonato", conclui.

Em 2017 serão realizadas três etapas do Big Wave Tour: Puerto Escondido Challenge, no México, Pe'hi Challenge, no Havaí, e Nazaré Challenge, em Portugal.

Pedro Calado contará com patrocínio e gestão de carreira pela empresa Orbe Consultoria, especializada em gestão de custos e cadeia de suprimentos. A Orbe, fundada em 2011, estreia com Calado seu braço de gestão de carreiras, e vem trabalhando na prospecção de novos parceiros, promoção e preparação do atleta para seus próximos desafios.

Comentários