Carlos Burle - profissão: surfista

O campeão internacional de ondas gigantes e grande incentivador do tow-in no mundo comemora 50 anos com o lançamento de sua biografia


Não é exagero dizer que Carlos Burle é um dos atletas que mais romperam barreiras dentro do esporte. Pioneiro entre os surfistas brasileiros na conquista de títulos internacionais em ondas gigantes, com marcas surpreendentes e reconhecidas no mundo todo, Burle sempre foi movido por desafios (e mares) cada vez maiores.

Capa do livro.

Capa do livro.



A biografia Carlos Burle – profissão: surfista, lançamento de novembro da Editora Sextante (selo Primeira Pessoa), faz a desconstrução de um heroi. Enquanto compartilha seus maiores feitos em cima da prancha, revela a disciplina, as frustrações e a ousadia que tiraram Burle da vida burguesa em Recife e o levaram para os mais arriscados e prestigiados picos de surfe do mundo.

Em cinco anos, Burle saiu das primeiras braçadas para a fama no surfe amador brasileiro. Aos 12, surfou pela primeira vez; aos 13, começou a dropar ondas fora de Recife; entre os 15 e os 16, embarcou para Fernando de Noronha e começou a participar de competições em outros estados do Nordeste; aos 17, conquistou os primeiros patrocínios como surfista amador e começou a alçar voos mais longos, participando de campeonatos na região Sul.

A vida pessoal foi igualmente agitada. Entre a separação dos pais, o envolvimento na rodinha de baseado, a descoberta da ioga e da meditação, as loucas experiências alimentares, as descobertas sexuais e até, tempos depois, a urinoterapia (ingestão da própria urina com fins medicinais) – tudo está contado em detalhes nas páginas no livro.

Com o tempo, as ondas brasileiras deixaram de ser suficientes para Burle, e ele começou a rodar o mundo atrás da verdadeira adrenalina: as ondas gigantes de lugares como o Havaí, o Taiti, a Califórnia – não havia pico que ele não fosse surfar. E foi nessa categoria do esporte, que poucos têm coragem de encarar, que ele se destacou e alcançou o estrelado, primeiro na remada, depois no desenvolvimento do tow-in.

Em 1998, campeão internacional pela primeira vez, no primeiro Campeonato Mundial de Ondas Grandes na Remada. Em 2001, surfou em Mavericks, Califórnia, a maior onda do mundo até então, com cerca de 23 metros de altura, feito que lhe rendeu menção no Guinness e o Oscar do surfe em ondas gigantes. Foi o primeiro brasileiro a participar do Eddie Aikau, tradicional evento de ondas grandes realizado no Havaí. Na temporada 2009-2010, sagrou-se campeão do primeiro circuito mundial de ondas grandes na remada.

Em 2013, em Portugal, Burle surfou a maior onda de sua vida, estimada em mais de 30 metros. Isso depois de ter resgatado Maya Gabeira no mar de Nazaré, em um momento histórico do esporte.

Resultado de três anos de depoimentos ao jornalista André Viana – que acompanhou a rotina de Burle, chegando a passar dez dias no Havaí e embarcando com coragem na urinoterapia –, Carlos Burle – profissão: surfista revela o lado humano do atleta, agora afastado das competições profissionais, que se dedicou de corpo e alma ao esporte. Burle também se orgulha de suas realizações longe das ondas: pai de dois filhos, se aventurou na vida de empresário, carregou a Tocha Olímpica no mar em 2016 e hoje se dedica à carreira de coach e participa de programas de TV. Um relato imperdível sobre o homem e o profissional que chega aos 50 anos como referência para atletas do mundo inteiro.

“Na profissão que escolhi não há espaço para o medo, embora seja parte indissociável da questão, já que superá-lo está subentendido na escolha. Sempre morri de medo do que fiz. Mas aprendi desde cedo que um bom jeito de não ser dominado pelo medo é manter a mente sempre pronta para enfrentá-lo. O medo como arma contra o medo. O vírus e a vacina”, declara Carlos Burle.

Sobre o livro:

Carlos Burle – profissão: surfista, em depoimento a André Viana

Preço: R$ 49,90 | R$ 29,99 (e-book)

Páginas: 320

Formato: 16x23 cm

Comentários