Carlos Matias - O poder delirante de uma lesão

"Eu vejo ondas horríveis e fico com uma vontade absurda de surfar. Quando está bom então eu quase me mato".


Desde um pouco antes do CT de Saquarema que eu venho me sentindo muito estranho. Sempre que passo pela praia (e isso acontece todos os dias) e vejo ondas horríveis fico com uma vontade absurda de surfar. Quando está bom então eu quase me mato.

Já escrevi em outra ocasião que saí da zona sul e vim morar na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio. A Barra é muito constante. Tem muita onda quebrando aqui, mas elas são muito sensíveis às marés e principalmente ao vento leste. E aqui venta, e muito, esse tal de leste. Acredito que uns 300 dias por ano.

Mas ultimamente, mesmo em dias de forte vento e de ondas pequenas, com formação muito ruim, eu tenho olhado o mar e tenho “encontrado” ondas abertas. E o pior: me vejo surfando nelas e manobrando naquelas fechadeiras, que no meu delírio parecem estar bem divertidas.

Grumari com ondas pequenas e vento maral. Condições fracas, mas com meus delírios consigo ver ondas divertidas... Foto: Ricosurf.

Grumari com ondas pequenas e vento maral. Condições fracas, mas

com meus delírios consigo ver ondas divertidas... Foto: Ricosurf.

Depois de quase procurar um psicólogo para entender isso, acho que encontrei o motivo. Estou lesionado. Em meados de março comecei a sentir dores na lombar, e, como nunca tive problemas nessa região do corpo, achei que fosse algo mais tranquilo e segui surfando até praticamente travar.

Então, mais ou menos de maio pra cá, tenho surfado muito pouco. Não preciso usar as duas mãos para contar os dias que entrei na água. É uma lesão nova e que devo carrega-la para o resto da vida, então ainda estou aprendendo a lidar com ela, como evitar e o que fazer para não ter crises.

E a questão é que quando voltar, vão ser poucos minutos dia sim, dia não, até saber o que posso fazer, o quanto posso forçar. Com isso tenho tido delírios, tenho visto “ondas perfeitas” em mares que nem o iniciante se interessa.

Cheguei a conclusão que o motivo é a minha lesão lembrando de situações que passei anteriormente. Recordo que uma vez estava com amigos em Cabo Frio, durante um feriadão, e numa session na praia do Foguete (que estava com ondas muito divertidas), caí pra frente. Estava mais raso do que eu esperava, então bati com a mão no fundo, com os dedos esticados. Fissurei a base de um dos dedos. Foi um quebradinho, mas que me dava muita dor e, claro, me tirou do surf (mais de um mês). Lembro que os dias seguintes foram de chorar. Via meus amigos surfando (ondas ruins) e eu louco. Como as condições não eram as melhores, eles saíam rápido da água, e eu não entendia aquilo, queria estar lá dentro.

Enfim... agora, enquanto não posso surfar, vou focar na recuperação e cair de cabeça no trabalho. Putz... Acho que vocês sabem com o que eu trabalho... É, não vai dar pra me esconder dessa fissura delirante que a minha lesão me causa...

Carlos Matias @carlosmatiasrj é Editor de Jornalismo do Ricosurf.

Comentários