Colunista Fabricio Menezes: de Porto Rico ao Japão

OLIMPIADAS


 

A emblemática equipe Brasileira no Mundial de Porto Rico em 1988

Lembro do longíncuo ano de 1988, a noite quando estávamos sentados na calçada na rua e um amigo chegou com a revista Veja gritando que Fabinho Gouveia estava na capa porque tinha ganho o mundial amador na categoria Open e Bolha tinha sido vice na Júnior com Teco em quinto.Esse era o antigo ISA Games. Comemoramos rindo e gritando sem acreditar. Outro fato que me veio a memória agora foi quando em 97 fui assistir a etapa do WCT no Rio e o meu primo falou: "vamos fazer outra coisa, não vai ter mesmo Brasileiro na final" . 

Ítalo Ferreira vem quebrando tudo e levou a Medalha de Ouro no Japão  Foto: divulgação

KS havia ganho e Ribas em quinto. O mundo do Surf há meia década está aos pés do Brazilian Storm. Ganhamos tudo, tudo mesmo e estamos esmagando como um trator na plantação de milho. O ISA Games foi a Cereja no Bolo. 55 países, praia lotada, a garra de Ítalo com a incrível história da sua primeira bateria, a nota dez culminando com a medalha de Ouro e a de Bronze de Medina.

Teco e Fabinnho - A dupla que fez história no circuito e abriu muitas portas.

A conquista por equipes e o topo do pódio com a bandeira brasileira flamulando, me fizeram chorar e soluçar de emoção. Desde 99 escrevo sobre surf e lutei muito para ver esse momento, organizando pequenos campeonatos e julgando, trabalhando no WCT e escrevendo para muitos sites.

Estamos no topo do mundo. Que venham as Olimpíadas! Sai que é Suaaaaa Italoooo.
Valeu Brasil, Valeu Storms!!!!

Comentários