CT Portugal 2017 - Miguel, Medina e Adriano avançam em dia de big surf

Miguel foi o único brasileiro que venceu na primeira fase


O CT Portugal 2017 começou com ondas grandes no pico de Supertubos, que fica na cidade de Peniche. Como previsto as séries passaram dos 3m em alguns momentos e rolaram todas as baterias a primeira fase, além de quatro da segunda. Três brasileiros já colocaram seus nomes no round 3 e outros cinco ainda vão competir pela repescagem. Um foi eliminado.

Ezekiel Lau numa bomba. Foto: WSL / Masurel.

Ezekiel Lau numa bomba. Foto: WSL / Masurel.



Num mar sem pico definido e com muitas ondas, a imensa maioria de fechadeiras, o faro pelas melhores e o preparo físico fizeram a diferença nas vitórias. Miguel Pupo foi o único atleta tupiniquim que se deu bem na estreia. Numa disputa num dos muitos momentos ruins do mar, o brasileiro virou o resultado quando restavam 3 minutos para o final do duelo, quando achou um tubo rápido numa direita e aplicou uma batida para finalizar a onda. O norte-americano Kolohe Andino ficou em segundo e o australiano Connor O’Leary em terceiro.

Miguel Pupo. Foto: WSL / Masurel.

Miguel Pupo. Foto: WSL / Masurel.



Gabriel Medina

Já Gabriel Medina e Adriano de Souza competiram duas vezes neste sábado. Na primeira fase os dois perderam. Medina até fez a melhor apresentação da bateria, com um tubo numa esquerda pesada, torta e brancha (espumada) em que ele errou um ollie up e que valeu 7,67 pontos. Mas Josh Kerr estava insano, ativo e botou pra dentro de buracos enormes. O australiano em duas ocaiões achou a saída dos barrels e venceu. Em terceiro lugar ficou Wiggolly Dantas, que não entrou em sintonia com o mar de Supertubos.

CONFIRA OS MOMENTOS MAIS MARCANTES DO DIA.

A disputa da repescagem entre Medina e Mason Ho, convidado da patrocinadora do evento, foi tensa. O brasileiro ficou mais ativo, mas quem começou melhor foi o havaiano, com dois tubos meio apertados que valeram 5,83 pontos. Porém com duas esquerdas atacadas com manobras, o brasileiro assumiu a liderança, mas sem conseguir abrir muita distância. Quando restavam pouco mais de dois minutos para o término o havaiano precisa de 4,10 e estava com a prioridade, mas Medina pegou outra onda e com ollie up de frontside aumentou o somatório e garantiu vaga no terceiro round.

Adriano de Souza

A estreia de Adriano na competição foi complicada, mas por pouco ele não venceu. O brasileiro levou muitas ondas na cabeça, mas conseguiu dois tubos. O mais longo valeu 7 pontos. Porém o australiano Jack Freestone achou um barrel longo e profundo, e apesar de ter saído meio embolado com a espuma recebeu a nota 9 dos juízes e avançou. O francês Jeremy Flores ficou perdido no outside e terminou na terceira posição.

Jack Freestone. Foto: WSL / Masurel.

Jack Freestone. Foto: WSL / Masurel.



Na repescagem Adriano teve sangue frio para esperar pelas melhores ondas, achou dois tubos e venceu com facilidade o australiano Stuart Kennedy que dropou várias vezes, porém não teve chances de marcar notas altas.

Filipe eliminado

O único brasileiro eliminado na competição neste sábado foi Filipe Toledo. No primeiro round ele até começou bem a disputa, com um tubo, seguido de um cut back e uma batida que valeram 6,67 pontos. Como estava na liderança e seus adversários não encontravam ondas boas, Filipe optou por ficar com a prioridade e esperar uma boa oportunidade. Porém no terço final do confronto o taitiano Michel Bourez pegou uma direita grande e mesmo sem ficar muito fundo no tubo conseguiu 8,50 pontos e dificultou a vida de Filipe e Jadson André (3º), que foram para a repescagem.

VEJA A GALERIA DE FOTOS.

No duelo eliminatório, Filipe viu o italiano Leonardo Fioravanti começar forte, com um excelente tubo (8,67) numa direita e com uma esquerda em que ele aplicou duas fortes manobras (6,67). O brasileiro deu uma rápida resposta com um tubo de backside (7,90), porém passou a precisar de 7,45 e nas três tentativas que fez não conseugiu nem um ponto. Com a derrota Filipinho se despediu da disputa pelo título mundial de 2017.

Filipe Toledo. Foto: WSL / Masurel.

Filipe Toledo. Foto: WSL / Masurel.



Outras derrotas brasileiras na primeira fase

Além de Filipe, Wiggolly, Jadson, Adriano e Medina, outros três brasileiros perderam na repescagem. Adriano e Medina já venceram pela segunda fase, e restam competir ainda pelo round Wiggolly Dantas, Jadson André, Caio Ibelli, Ian Gouveia e Ítalo Ferreira.

Caio entrou no primeiro confronto da etapa, que foi muito fraco de qualidade de ondas. O brasileiro pegou cinco ondas e na melhor marcou apenas 1,10 pontos. O vencedor foi o australiano Julian Wilson que somou nas duas melhores apresentações 4,97. Em segundo ficou Fioravanti. Na repescagem Caio vai encarar Wiggolly.

Julian Wilson. Foto: WSL / Poullenot.

Julian Wilson. Foto: WSL / Poullenot.



Ítalo Ferreira foi outro que não se achou na bateria e chegou a quebrar uma prancha. O sul-africano, atual vice-líder do ranking, Jordy Smith fez as duas melhores notas da bateria (5,17 e 4,03) e venceu. O português Vasco Ribeiro ficou em segundo lugar. O próximo adversário de Ítalo será o francês Jeremy Flores.

Ian Gouveia foi outro atleta tupiniquim que não achou ondas com potencial no outside turbulento de Supertubos. Ainda por cima o tricampeão mundial, o australiano Mick Fanning, pegou um longo e limpo tubo numa direita e conquistou 9 pontos, faturando a vaga na terceira fase. O português Frederico Morais terminou a batalha na segunda posição. Na repescagem Ian vai pra cima de Connor O’Leary.

Jordy Smith. Foto: WSL / Poullenot.

Jordy Smith. Foto: WSL / Poullenot.



Briga pelo título mundial

Dois dos oito surfistas que ainda sonhavam com o título mundial de 2017 já foram eliminados da prova e não têm mais chances e chegar na liderança do ranking neste ano. Filipinho foi um deles e o outro foi o australiano Owen Wright, que ficou em último na bateria da primeira fase vencida pelo seu conterrâneo Ethan Ewing, e que foi eliminado por Vasco, português que nesse duelo da repescagem fez o maior score do dia, um 9,37, com um tubaço numa direita.

Os outros seis candidatos ao título estão classificados para a terceira fase do CT Portugal 2017: Jordy Smith, Gabriel Medina, Matt Wilkinson, Julian Wilson, Adrianno de Souza e John John Florence, este último o único que pode garantir o troféu de melhor do ano nas ondas de Supertubos.

Matt Wilkinson. Foto: WSL / Poullenot.

Matt Wilkinson. Foto: WSL / Poullenot.



Confira o que os adversários de Jonh John precisam fazer para evitar o título mundial do havaiano em Supertubos:

- Se JJ vencer a etapa, Jordy Smith tem que chegar pelo menos nas quartas de final;

- Se JJ ficar em segundo lugar, Jordy tem que terminar pelo menos em nono ou Medina, Owen Wright e Matt Wilkinson devem vencer o evento e

- Se JJ terminar em terceiro ou pior a decisão vai automaticamente para o Hawaii.

Próxima chamada

A próxima chamada para a etapa acontece neste domingo às 4h45 (horário de Brasília). De acordo com a previsão oficial da competição as ondas vão ficar ainda maiores que as deste sábado em Supertubos.

Assista as disputas AO VIVO.

Round 1

1: Julian Wilson (AUS) 4.97, Leonardo Fioravanti (ITL) 4.20, Caio Ibelli (BRA) 2.03

2: Matt Wilkinson (AUS) 9.84, Stu Kennedy (AUS) 7.90, Bede Durbidge (AUS) 7.44

3: Ethan Ewing (AUS) 10.37, Conner Coffin (USA) 9.34, Owen Wright (AUS) 9.33

4: Josh Kerr (AUS) 12.83, Gabriel Medina (BRA) 10.87, Wiggolly Dantas (BRA) 2.90

5: Jordy Smith (ZAF) 9.20, Vasco Ribeiro (PRT) 3.64, Italo Ferreira (BRA) 2.04

6: John John Florence (HAW) 11.67, Mason Ho (HAW) 3.67, Kanoa Igarashi (USA) 0.50

7: Jack Freestone (AUS) 14.90, Adriano de Souza (BRA) 12.67, Jeremy Flores (FRA) 4.33

8: Michel Bourez (PYF) 12.00, Filipe Toledo (BRA) 7.74, Jadson Andre (BRA) 4.73

9: Joel Parkinson (AUS) 13.50, Nat Young (USA) 9.27, Joan Duru (FRA) 4.73

10: Miguel Pupo (BRA) 8.00, Kolohe Andino (USA) 6.66, Connor O’Leary (AUS) 5.17

11: Sebastian Zietz (HAW) 9.77, Adrian Buchan (AUS) 7.90, Ezekiel Lau (HAW) 3.97

12: Mick Fanning (AUS) 15.50, Frederico Morais (PRT) 6.84, Ian Gouveia (BRA) 3.97
 
Round 2

1: Gabriel Medina (BRA) 11.66 x Mason Ho (HAW) 6.33

2: Vasco Ribeiro (PRT) 11.20 x Owen Wright (AUS) 10.17

3: Adriano De Souza (BRA) 12.27 x Stuart Kennedy (AUS) 4.93

4: Leonardo Fioravanti (ITA) 15.34 x Filipe Toledo (BRA) 8.40
 
Próximas baterias

5: Kolohe Andino (USA) x Jadson Andre (BRA)

6: Frederico Morais (PRT) x Nat Young (USA)

7: Adrian Buchan (AUS) x Ezekiel Lau (HAW)

8: Connor O'Leary (AUS) x Ian Gouveia (BRA)

9: Joan Duru (FRA) x Kanoa Igarashi (USA)

10: Jeremy Flores (FRA) x Italo Ferreira (BRA)

11: Caio Ibelli (BRA) x Wiggolly Dantas (BRA)

12: Bede Durbidge (AUS) x Conner Coffin (USA)

Comentários