CT Snapper 2019 - Medina bate recorde após maratona de baterias do round 3

Com o maior somatório do ano, Gabriel Medina foi o grande destaque do 3º dia de competições. Cinco brasileiros continuam vivos na briga pelo título


Após as inéditas 16 baterias do terceiro round 3 no Quik Pro Gold Coast, cinco brasileiros seguiram na briga. Um deles, Gabriel Medina, foi o grande destaque do dia após fazer a melhor apresentação do ano, tendo somado ridículos 19.13 dos 20 pontos possíveis. O brasileiro brincou de voar de frontside e mostrou o seu já conhecido backside letal.


Medina soltou as patadas de backside e abusou dos voos de frontside. Foto: WSL / Cestari.

O 2º maior somatório foi do brasileiro Ítalo Ferreira. Somou 16.53 e mostrou a razão de ter vencido o Airborne no dia anterior. Usou e abusou dos voos, aproveitando a vala de esquerda com vento favorável, e não deu chance ao azar.

O início das ações. Pela primeira vez na história o sistema de baterias simultâneas, como costuma ocorrer no Pipe Masters, foi implantado na Gold Coast. Nesse esquema, o dia começou com um dos favoritos desta etapa sendo testado por um estreante do CT. Filipe Toledo e o australiano Soli Bailey tiveram um tenso duelo na abertura dos trabalhos em Dbah.


Toledo teve muito trabalho para avançar de fase. Foto: WSL / DUnbar.

Os 10 minutos iniciais foram de tempo perdido. Ambos ficaram colados nas pedras à direita da praia, brigando pela pioridade, enquanto as ondas quebravam em outro lugar. Foi o rookie que tomou a iniciativa e, desde então, dominou quase todo o confronto.

Toledo parecia um pouco confuso no mar. Esperou por tempo demais e não foi aquele Toledo feroz que costumamos ver. Conseguiu a virada já nos minutos finais, quando seus fãs já temiam por sua eliminação precoce - que parecia iminente. FIlipe ainda tem muito surfe a mostrar na etapa.

Logo em seguida, o campeão mundial John John Florence, que passou meses parado após lesão no joelho, provou que está recuperado e pronto para brigar novamente pelo world title. Mostrou as quilhas e jogou tainha pro alto quando precisou usar a borda, e mostrou progressividade e controle quando foi para o ar. Venceu o duelo contra o experiente Ace Buchan.

Agora, na primeira bateria das oitavas de final, Filipe Toledo e John John duelarão. Um confronto que, ao menos no papel, tem tudo para ser um dos melhores da temporada.


John John mostrou que está no rip. Foto: WSL / Dunbar.

Na bateria 3, primeira baixa brasileira do dia. Jessé Mendes não se encontrou nas valas de Duranbah e amargou a eliminação precoce, ao perder para um Kanoa Igarashi solto nas valas do pico. Jessé sai com o 17º lugar e 1.330 pontos dos 10 mil em disputa.

Na bateria 6, vitória do norte-americano Conner Coffin em cima do francês Jeremy Flores. Na sequência, uma baixa inesperada. O vice-campeão mundial Julian Wilson não segurou a pressão do também australiano Reef Heazlewood, campeão da triagem, e foi eliminado em casa. Reef Continuou usando seu arsenal de aéreos para pontuar alto, tendo somado 16,07, o 3º maior somatório do dia.


Reef Heazlewood segue fazendo estragos em Dbah. Foto: WSL / Dunbar.

Dando continuidade à maratona, Griffin Colapinto e o estreante Seth Moniz protagonizaram a bateria mais equilibrada e, apesar do score, uma das mais empolgantes de assistir.

Griffin liderou por mais da metade do heat. Com um 6.77 e um 5.80 parecia que não teria muitos problemas, já que até então a maior nota do havaiano era um 4.90. Mas foi aí que a coisa mudou. Seth tirou um 6.03 da metade para o final da bateria e, já nos minutos derradeiros, fez um 6.57 e virou contra Colapinto - por uma diferença de apenas 0,3 pontos -, eliminando o norte-americano que, no ano passado, terminou este evento em 3º lugar.


Seth Moniz chegou com tudo na elite. Foto: WSL / Cestari.

Na disputa seguinte foi a vez de Peterson Crisanto dar adeus ao campeonato, ao perder para Kolohe Andino. O brasileiro surfou bem, preferiu novamente adotar a estratégia de pegar as direitas mais perto do molhe, mas dessa vez sem resultado favorável.

Crisanto mostra que tem enorme potencial para se manter na elite, mas talvez tenha lhe faltado mais dinâmica e rapidez nas decisões para pegar uma onda. Acabou esperando demais e ficou sem tempo para uma reação.

Logo após, Owen Wrigth avançou de fase ao vencer duelo contra Ezekiel Lau.

E foi na bateria de número 9 o maior show do dia. Medina não tomou conhecimento de Mateus Herdy, abusou das esquerdas e fez o maior somatório do ano. Nada mais nada menos do que um 19,13.



Na bateria seguinte, Yago Dora surfou muito! Mandou aéreos de frontside cabulosos, mas teve dificuldades em agradar os juízes. Acabou vencendo o duro confronto contra Joan Duru; porém, pelo que foi a bateria, merecia ter vencido com mais tranquilidade. Yago agora terá pela frente o bicampeão mundial Gabriel Medina.


Yago Dora foi um dos destaques do dia. Foto: WSL / DUnbar.

Entrando nas baterias finais do enorme round 3, Jordy Smith bateu Ryan Callinan e Mikey Wright venceu Jack Freestone. No heat 13, foi a vez de Ítalo Ferreira dar seu show, vencendo com tranquilidade o neozelandês Ricardo Christie.

No confronto seguinte, duelo 100% verde e amarelo. Willian Cardoso mostrou seu power surfe, que esse ano parece mais veloz, e venceu Michael Rodrigues que era tido como favorito no duelo dadas as condições das ondas.

Na penúltima bateria, Wade Carmichael quebrou tudo e venceu com folga o havaiano Sebastian Zietz. Fechando o round 3, na última bateria do dia, Deivid Silva e Michel Bourez mediram forças.

Deivid não conseguiu aproveitar a vantagem de surfar em uma condição de mar que domina como pucos e, talvez tendo esperado tempo demais para pegar a onda da virada quando precisava de uma onda na casa dos 5 pontos, acabou eliminado da competição.

A próxima chamada do Quiksilver Pro Gold Coast acontece nesta sexta-feira, às 18h ho horário de Brasília.

Round 4 (oitavas de final)

Filipe Toledo (BRA) x John John Florence (HAV)
2 Kanoa Igarashi (JAP) X Conner Coffin (EUA)
3 Reef Heazlewood (AUS) x Seth Moniz (HAV)
4 Kolohe Andino (EUA) x Owen Wright (AUS)
Gabriel Medina (BRA) x Yago Dora (BRA)
6 Jordy Smith (AFR) x Mikey Wright (AUS)
7 Ítalo Ferreira (BRA) x Willian Cardoso (BRA)
8 Wade Carmichael (AUS) x Michel Bourez (PLF)

Comentários