Gabriel Farias vence de forma emocionante o Gaibu Final Heat

SURF PROFISSIONAL


 

Alan Jones jogando água 

O Luau de confraternização aconteceu no Sábado a noite com a música do cantor Lucas Solaris ao vivo e de graça numa estrutura armada ao lado da estrutura do evento e começou as 17 horas com muita surf music e declarações de amor. As semifinais do profissional começaram as 8 em ponto.  Alan Jhones, Israel Júnior, Douglas Silva e Gabriel Farias se enfrentam na primeira semifinal que definiu Alan Jhones e Gabriel Farias como classificados para a final numa das melhores disputas de todo o evento comparada apenas com a disputa da segunda semifinal que envolveu Ivan Silva, José Claudio, Alan Donato e Junior Lagosta onde Júnior Lagosta e Ivan Silva se classificaram. 


Pódio Pro Masculino

Ainda durante a bateria seguinte, foi anunciado que a final profissional seria antecipada e que os profissionais masculinos voltariam para o mar na sequencia para definir o título da categoria em Gaibú e o campeão do circuito 2020. Alan Jhones, Gabriel Farias, Júnior Lagosta e Ivan Silva tiveram 30 minutos para descansar enquanto no mar rolavam as semifinais do feminino.  Nicole Santos e Natalia Barrote não conseguiram segurar.Joyce Silva e Gabriele Cavalcante que passaram para as finais na primeira semi enquanto Natália Malta e Duda Autran foram vencidas por Selma Silva e Duda Falcão. No melhor momento do mar, a final profissional estava na água para dar um show de técnica e aéreos.  Gabriel Farias já abriu a bateria mostrando a que veio fazendo uma onda excelente, o que não desanimou seus oponentes que o tempo todo disputaram onda a onda e ponto a ponto cada minuto.  A prova é que entre o primeiro e o quarto lugares, a diferença foi de apenas 2.15 pontos.  


Gabriel Farias 

Por fim, depois de uma direita perfeita que Gabriel já abriu com uma manobra forte, o resultado ficou nas mãos dos juízes que usaram o sistema de replay para garantir que uma decisão tão importante fosse justa. Ainda mais depois da onda que Ivan Silva trouxe até a beira atravessando a sirene que indica o final da bateria. Foi no Beach Marshall que Gabriel Farias não conteve a alegria quando Faquico Aun, locutor oficial do evento, anunciou quem venceu o Gaibú Final Heat.Thiago Silva, mesmo tendo sido eliminado nas quartas de final, tinha pontos suficientes para ser consagrado o campeão do Circuito 2019 e garantir sua passagem para Noronha na abertura do Circuito 2020. 

Gabriele Cavalcanti

Na noite de sábado foi realizada uma didática palestra direcionada para a comunidade local a respeito do critérios de julgamento, equipamentos e técnicas utilizados nos eventos da ANS (Associação Nordestina de Surf).  Na final da Longboard, Bruno Ursic foi quem melhor exemplificou o tema "regra de prioridade". Se colocando em uma onda decisiva para Gel Lima, ele não venceu, mas evitou que o seu oponente trocasse sua nota deixando Gel muito irritado. Na longboard, a vitória foi de Reginaldo Nascimento(PE).  Mostrando claramente não estar a par do tempo de bateria, Reginaldo quase perdeu a chance de ir buscar uma das melhores ondas de todo o evento (8.50) que só veio segundos antes do término da bateria.  Foi mais uma dobradinha entre os Irmãos Nascimento. 

Pódio categoria feminino 

Raoni Monteiro fez a segunda melhor média do evento na final da Master.  O Saquaremense correu três etapas do circuito Pernambucano e declarou estar muito feliz com as vitórias por aqui e por ter conhecido praias que não conhecia.  A melhor média foi do portiguar Alan Jhones na categoria Pro.  Yantui Duarte(PE), Jorgan Marinho(RN) e José Claudio (PE) venceram nas categorias Sub 14, sub 16 e sub 18 respectivamente com destaque para o que está sendo chamado de "A nova sensação de Maracaipe", José Cláudio.  Depois de sua primeira experiência em Fernando de Noronha no início do circuito, o crescimento deste jovem foi exponencial. Ainda cheio da alegria de criança, o adolescente talentoso já enfrenta os profissionais de igual para igual e será sem dúvida um nome a repercutir em 2020. 

O público prestigiou o evento

 Na Legend, em seu primeiro campeonato depois de 30 anos sem competir, Jaime Farinha foi o campeão. De poucas palavras, Jaime só desejou dizer do quanto estava feliz de estar entre amigos parabenizando também a produção do evento. Cardoso Júnior foi o grande campeão da categoria Gran Kahuna. Surfando muito mais focado, ele reverteu o resultado da categoria Kahuna onde Rogério Dantas liderou com maestria. Falando em mestres, o ex-top do circuito mundial Danilo Costa, eterno big rider que já dropou ondas como Teahupoo e Puerto Escondido, domou Gaibú na maré baixa sem muitos problemas para ser o campeão Sênior. 

O pódio do evento

Emoção mesmo foi a de Ricardo Erick ao receber o troféu da categoria Universitários Formados das mãos de Pinguim, comerciante que foi o proprietário a única lanchonete de Gaibú a 30 anos onde todos os surfistas que chegavam a praia se reuniam para recobrar as energias.  Erick Agradeceu muito a Deus pela segunda vitória seguida no circuito. Na Formandos, Tafarel Arruda se mostrou bem a vontade para vencer, mas não deixou de elogiar o surf dos seus oponentes e a iniciativa de Bruno Cepacol que trabalhou tanto para que a categoria voltasse para o circuito. 

O pequeno gigante Roberto Pino venceu os colegas na categoria Surf Adaptado. Ele que é um grande incentivador da categoria, venceu Beto Coalhada, Vitor Lucena, Mãozinha e Silvio.  É a terceira vez que a categoria Surf Adaptado está no circuito Pernambucano e a expectativa é para que se fortaleça cada vez mais.  O motivo é o crescimento do surf desses atletas e o desenvolvimento de técnicas para adaptar o surf a cada especificidade dos competidores. 

Lucas Solaris

Impossível falar dessa etapa sem falar do incidente que afligiu a todos que amam o mar esta semana.  A mancha de óleo que se espalha pelo litoral nordestino invadiu diversas praias da região.Apesar de Gaibú ter sido poupada, em nenhum momento diminuiu a atenção sobre o assunto. Além do sistema de vigilância equipado com Jet Sky e Drone contratado pelo evento, a prefeitura do Cabo de Santo Agostinho enviou equipes de trabalho.  O próprio Geraldo Cavalcanti, diretor executivo da Federação Pernambucana de Surf e produtor do evento, participou do apoio a essa ação.

Durante todo o dia, um navio da Marinha de Guerra também participou da defesa da praia contra a ameaça do óleo. O Gaibú Final Heat encerrou a temporada 2019 do surf pernambucano em um ano onde realizou 6 etapas.  Um marco no surf brasileiro onde infelizmente se encontram vários estados que em pleno outubro, que sequer iniciaram seus calendários. 


O evento foi apresentado por Shark Board com o incentivo da Prefeitura do Cabo de Santo Agostinho.  Uma realização da Federação Pernambucana de Surf em Parceria com a ANS e ABRASP.Apoio do Gaibú Surf Club e Blocos Teccel.

 

Comentários