Leo Caetano - Em busca da clicada perfeita



O Rio Photo Festival é uma iniciativa independente que visa

incentivar a prática fotográfica de surf no Rio de Janeiro.

Foto: Leo Caetano.

Confira mais um texto do novo colunista do Ricosurf, Leo Caetano, que é administrador com MBA em Gestão pela UFRJ, surfista, fotógrafo amador de surf (@p11pics) e executivo da área de entretenimento. Foi diretor de cerimoniais Rio 2016 e autor da ideia original do filme Surfar é Coisa de Rico.

Começou a janela de espera mais aguardada por fotógrafos de surf e surfistas cariocas em todo o ano. Se você pensou na etapa brasileira da WSL, errou feio. Porque essa, simplesmente, é a janela de espera mais aguardada do surf brasileiro.

Brincadeiras à parte, eu me referia a segunda edição do Rio Photo Festival, que como o próprio site da competição diz, é uma iniciativa independente que visa incentivar a prática fotográfica de surf no Rio de Janeiro.

Ora, nada pode ser mais bacana que gente querendo incentivar arte e convivência através daquela competição saudável, que todos nós odiamos amar. Concorda? Afinal de contas, quem não quer ter uma medida do seu trabalho? Quem não quer ser o melhor no que faz? Quem não quer beber com seus ídolos e amigos quando tudo acabar? E quem, acima de tudo, não quer ter seu trabalho visto e admirado por leigos e conhecedores fora do mundinho virtual?

Bom, de 1º de maio até 2 de julho você terá sua chance. Fotógrafos, videomakers, surfistas e congêneres se espalharão pelo litoral do Rio de janeiro em busca de capturar, conforme o termo popularizado pelo grande Cartier-Bresson, o instante decisivo. Aquele momento que transforma o tempo em imagem, e a imagem em arte.

 

O concurso teve sua forma alterada em relação ao seu primeiro ano, mas mantém o mesmo espírito instigante e independente que fez dele um clássico instantâneo em 2016. Agora, serão quatro categorias julgadas (Surf, Arte, Demais esportes de prancha e Filmes de 1 minuto), dando chances para uma grande gama de produtores e personagens mostrarem o que sabem.

A verdade, é que existe uma grande probabilidade de você não vencer esse concurso. Mas é verdade também, que você irá se arrepender amargamente se não participar dessa deliciosa gincana em busca do clic perfeito.

Serão barcas furadas, sessions insanas com amigos, clicks quase mágicos, muita discussão sobre fotos e sobre o resultado da empreitada, mas além disso tudo, serão horas e horas de aprendizado e evolução que dinheiro nenhum no mundo pode pagar.

Fazer o que você sempre faz de maneira diferente, buscando o atingir o seu limite técnico e criativo, pode ser um vício que você vai amar adquirir. Aí, é só agradecer ao Rio Photo Festival e aguardar ansiosamente pela janela de sua terceira edição.

Comentários