Oi Rio Pro 2018 - Filipe Toledo é o rei de Saquarema em um dia épico

Filipinho vence de forma avassaladora e mostra seu potencial para os tubos grandes e pesados. O brasileiro agora dorme na vice-liderança do CT.


8 horas e 5 minutos. 18 de maio. Saquarema, Itaúna, praia da Barrinha. Estes foram o horário local e dia do início das finais do maior e melhor evento que o Brasil já teve em uma etapa do mundial.

Não seria nenhum exagero dizer que foi um campeonato épico. Na real, foi Épico, assim mesmo com letra maiúscula. E ainda mais maíusculo foi a acachapante e incrível vitória do dominante e enérgico Filipe Toledo.

Wade vice e Filipe campeão do Oi Rio Pro 2018. Foto: Carolina Siqueira / Ricosurf.

Wade vice e Filipe campeão do Oi Rio Pro 2018. Foto: Carolina Siqueira / Ricosurf.



O atleta de Ubatuba botou pra baixo, passou por dentro, invadiu o espaço aéreo e só faltou fazer chover para vencer a 4ª etapa do circuito mundial de surfe de 2018.

O começo da história

O mar amanheceu de acordo com a previsão. Mesmo muitos tendo ficado céticos na noite anterior, já que no fim de tarde de quinta-feira o mar tinha menos do que meio metro, Saquarema voltou a mostrar sua potência e acordou na sexta-feira com ondas de cerca de 1,5 metro.

Como era o primeiro dia deste novo swell que entrou, o mar começou meio irregular, um pouco balançado demais e, apesar de ter bons tubos, estava difícil de encontrá-los.

Tanto assim foi, que as menores médias do dia foram nas quartas de finais. Mas ao longo da manhã as bombas foram aparecendo e algumas séries entraram com pelo menos 2,0 metros.

Michael Rodrigues. Foto: Carolina Siqueira / Ricosurf.

Michael Rodrigues. Foto: Carolina Siqueira / Ricosurf.


E inaugurando este útlimo dia, na primeira bateria das quartas de final, Filipe Toledo venceu com propriedade o difícil duelo contra o norte-americano Kolohe Andino.

A partir daí, o que se viu foram baixas brasileiras, que caíram um a um para seus adversários. Michael Rodrigues bem que tentou, mas não conseguiu barrar o atual líder do ranking, o australiano Julian Wilson. Na sequência, tivemos um Gabriel Medina bem desconectado e fora de sintonia com o lineup da Barrinha. Medina não encontrou as ondas e foi amplamente dominado pelo australiano Wade Carmichael, perdendo com um somatório de apenas 3.63, que muito provavelmente foi o seu pior somatório desde que entrou no CT.

Wade Carmichael. Foto: Carolina Siqueira / Ricosurf.

Wade Carmichael. Foto: Carolina Siqueira / Ricosurf.



Finalizando as quartas de final, o havaiano Ezekiel Lau venceu o aniversariante do dia, Yago Dora, que buscou os aéreos, mas não conseguiu achar uma boa onda da série.

Da tão esperada semifinal com 4 brasileiros, apenas um conseguiu chegar lá. Ainda assim, há que se reconhecer o excelente campeonato que todos estes brasileiros fizeram. Estão de parabéns!



Semifinais

Na primeira bateria da semi final, um clássico mundial. Brasil vs. Austrália; Filipe Toledo vs. Julian Wilson.

'The Freak Toledo' veio com tudo, entrou com a faca nos dentes e deixou o atual líder do ranking sem a menor reação. Com um surfe sólido e seguro, Toledo somou 16.37 contra apenas 5.63 do australiano e, além de frear o líder, garantiu a primeira vaga na grande decisão do evento.

Filipe Toledo. Foto: Carolina Siqueira / Ricosurf.

Filipe Toledo. Foto: Carolina Siqueira / Ricosurf.



Na outra bateria, confronto de power surfers. Wade Carmichael, que surpreendeu muita gente com seu surfe encaixado aqui em Saquarema, enfrentou Ezekiel Lau, outro que vinha surfando muito bem e chegou às fases finais com méritos de sobra.

E nesse duelo de 'azarões', melhor para o cabeludo australiano, que dominou do início ao fim e juntou-se ao Filipe Toledo na final.

A torcida e a vibe na areia

INCRÍVEL!! Emocionante! Não tem muito o que dizer, a torcida foi um show a parte. A energia da galera nas areias de Itaúna contagiaram até mesmo os mais leigos do esporte. O clima, a mística do lugar, a empolgação dos locais e até mesmo a ferrenha disputa por espaço na areia marcou de forma única a etapa brasileira do tour. A cidade de Saquarema está de parabéns. Todos os presentes estão de parabéns, assim como a WSL que peitou muita gente e colocou, por três dias, o evento na Barrinha, mesmo estando longe das ativações das marcas que patrocinam esta etapa.

Praia da Barrinha. Foto: Carolina Siqueira / Ricosurf.

Praia da Barrinha. Foto: Carolina Siqueira / Ricosurf.



A grande final

Foi um duelo de praticamente um homem só. Toledo entrou no mar a mil por hora. Em sua primeira onda, de tão acelarado acabou vacando feio de cabeça em uma fechadeira logo no início da bateria. Depois dessa acordada, Toledo pegou uma marolinha, aplicou umas manobras, mas nada próximo do que estava por vir.

Enquanto o australiano tentava se encontrar no pico, Filipinho pegou a sua primeira bomba (e uma verdadeira bomba), passeou pelo salão da Barrinha, acelerou tudo o que podia, continuou acelerando, a onda oca rodando rápida à sua frente, numa corrida crucial, mas que no final, pela 'dog door', Filipe Toledo saiu voando para delírio de todos os presentes.

Foi um tubo que parecia impossível que só foi possível pela destreza e velocidade de Filipinho. A nota não foi um 10, mas quase. Saiu um 9.93 e, a partir daí, Toledo só precisou administrar a vantagem. Ainda sem se encontrar no mar, Wade parecia sentir o peso da pressão inicial imposta pelo brasileiro. Carmichael ainda viu Filipe pegar um outro ótimo tubo para conquistar um 7.17 e deixar o australiano em combinação de notas.

Filipe Toledo. Foto: Iuri Corsini / Ricosurf.

Filipe Toledo. Foto: Iuri Corsini / Ricosurf.



Vitória garantida e mais do que merecida. Quando a buzina soou indicando o término da final, a praia veio abaixo. As bandeiras verde e amarelas tremularam orgulhosas e as milhares de pessoas presentes soltaram o grito do fundo da alma de "É campeão!!". O mesmo grito entoado no ano passado quando Mineirinho venceu aqui mesmo em Saquarema.

Nada melhor do que um brasileiro tão querido por todos nós para coroar a mágica de Saquarema. E obrigado, Barrinha! Sua onda é um sucesso.

Filipe Toledo. Foto: Carlos Matias / Ricosurf.

Filipe Toledo. Foto: Iuri Corsini / Ricosurf.



Até o ano que vem.

Comentários