QS 10000: Brasileiros são maioria entre os finalistas na Espanha

O QS 10000 Abanca Galicia Classic Surf Pro teve um longo dia de competição na quinta-feira de condições desafiadoras para competir nas ondas de 4-6 pés na Playa Pantin


 

Jadson André - Foto: WSL

O QS 10000 Abanca Galicia Classic Surf Pro teve um longo dia de competição na quinta-feira de condições desafiadoras para competir nas ondas de 4-6 pés na Playa Pantin, em La Coruña, na Espanha. Foi realizada toda a terceira fase e metade da rodada classificatória para as oitavas de final, com três brasileiros já conquistando suas vagas, o potiguar Jadson André que retomou a ponta do ranking do WSL Qualifying Series e os paulistas Jessé Mendes e Deivid Silva, que usou os aéreos para ganhar as duas maiores notas do dia, 9,07 e 9,40. Mais quatro paulistas estão na segunda metade da quarta fase, que vai abrir a sexta-feira, Alex Ribeiro e Marcos Correa na primeira bateria do dia e os irmãos Miguel e Samuel Pupo na terceira.

Samuel Pupo -  Foto: WSL

Os brasileiros são maioria com sete surfistas entre os vinte que continuam na disputa do título do QS 10000 da Espanha, contra cinco australianos, três franceses, dois norte-americanos, um português, Frederico Morais, um sul-africano e um da Costa Rica. O argentino Leandro Usuña tinha completado uma dobradinha sul-americana com Jessé Mendes na terceira fase, mas foi eliminado depois pelo francês Timothee Bisso e pelo australiano Matt Banting na primeira disputa por duas vagas nas oitavas de final, ficando em 17.o lugar no Galícia Surf Classic Pro.

Miguel Pupo - Foto: WSL

Entre os brasileiros, os primeiros a se classificar foram os tops da elite do CT, Jadson André e Jessé Mendes. O potiguar já defendia a liderança do ranking nesta sua segunda participação na quinta-feira. Na primeira, ele ganhou uma bateria com três brasileiros, mas o australiano Matt Banting acabou eliminando os outros dois, o paranaense Peterson Crisanto e o baiano Marco Fernandez. A dobradinha brasileira foi concretizada depois, com Jessé Mendes, que venceu mais uma e Jadson passou em segundo lugar, despachando o francês Charly Quivront.

Deivid Silva - Foto: WSL

MELHOR DO DIA – A disputa seguinte foi bem mais intensa e o paulista Deivid Silva, também da elite do CT, teve que arriscar tudo em um aéreo full-rotation que arrancou a maior nota do dia dos juízes, 9,40. Com ela, superou o francês Gatien Delahaye por 15,67 a 14,30 pontos, mas não conseguiu tirar a vitória do californiano Jake Marshall por 16,10, somando 8,17 com 7,93. Isso já tinha acontecido com Deivid na bateria anterior, quando também teve que tirar a maior nota da bateria, 9,07, para avançar em segundo na vitória do havaiano Imaikalani Devault. Foi nessa que caiu o francês Jorgann Couzinet, que liderava o ranking.

“Eu não tive escolha, a não ser arriscar ao máximo para me classificar”, disse Deivid Silva. “O Jake (Marshall) começou forte (com notas 7,00 e 8,17) e o Gatien (Delahaye) estava surfando muito bem também, então eu tive que fazer algo grande, diferente. Eu lembro de já ter conseguido uma nota 10 aqui há alguns anos e sabia que era quase isso que eu precisava pra passar. Eu treino bastante nesse tipo de onda e estou feliz por ter conseguido esse notão. A onda foi perfeita e o vento segurou a prancha nos meus pés até completar a manobra”.

Yago Dora - Foto: WSL

OITAVAS DE FINAL – Nas oitavas de final, Deivid enfrenta o australiano Caleb Tancred na quarta bateria. A primeira será a do novo líder, Jadson André, com o francês Timothee Bisso e Jessé Mendes disputa a segunda vaga para as quartas de final com o australiano Matt Banting, que está no grupo dos dez surfistas que o WSL Qualifying Series classifica para a elite dos top-34 da World Surf League. Jessé tenta entrar no G-10, pois tanto ele como Jadson, não estão conseguindo confirmar suas permanências entre os top-22 do ranking do CT.

O principal concorrente de Jadson na briga pelo primeiro lugar no QS agora é outro brasileiro, o paulista Alex Ribeiro, que também já ultrapassou o francês Jorgann Couzinet para assumir a vice-liderança no ranking. Ele vai disputar a primeira bateria da sexta-feira, prevista para começar as 10h30 na Espanha, 5h30 no Brasil, com o também paulista Marcos Correa e o sul-africano Matthew McGillivray. Os dois melhores avançam para as oitavas de final.

Miguel Tudela - Foto: WSL

A outra batalha por vagas envolvendo brasileiros será a dos irmãos Miguel e Samuel Pupo, contra o americano Michael Dunphy na penúltima bateria dessa fase. Eles conquistaram as últimas vitórias verde-amarelas na quinta-feira. Miguel Pupo ganhou o segundo confronto com participação tripla do Brasil na terceira fase, com o francês Charles Martin eliminando o também paulista Wiggolly Dantas e o carioca Lucas Silveira na briga pelo segundo lugar. A outra também terminou assim, com vitória de Jadson André e o australiano Matt Banting barrando o paranaense Peterson Crisanto e o baiano Marco Fernandez.

ONZE ELIMINAÇÕES – A quinta-feira começou com dezoito sul-americanos e terminou com sete brasileiros seguindo vivos na disputa do título do terceiro QS 10000 masculino do ano. Os dois primeiros já foram vencidos pelo Brasil, com Deivid Silva sendo o campeão do Ballito Pro na África do Sul e o catarinense Yago Dora ganhando o Vans US Open of Surfing na Califórnia. Yago foi uma das onze baixas no esquadrão sul-americano, na bateria que Marcos Correa se classificou. Ele ficou em 25.o lugar no Abanca Galícia Classic Surf Pro e recebeu 1.800 dólares e 1.100 pontos para o ranking, como Peterson Crisanto, Ian Gouveia, Wiggolly Dantas e o peruano Miguel Tudela, eliminado na bateria vencida por Samuel Pupo.

Leandro Usuna - Foto: WSL

Os que ficaram em último nestes confrontos da terceira fase, na 37.a posição no evento com 1.450 dólares e 1.000 pontos, foram Marco Fernandez, Lucas Silveira e o atual campeão mundial Pro Junior da World Surf League, Mateus Herdy. Outros dois brasileiros perderam logo na primeira bateria do dia, ainda pela segunda fase, Matheus Navarro e Krystian Kymerson, que ficaram na 49.a e 73.a colocações marcando 600 e 550 pontos, respectivamente. Já o argentino Leandro Usuña, que só perdeu na rodada classificatória para as oitavas de final, ficou em 17.o lugar, ganhou 2.200 pontos e recebeu 2.500 dólares de prêmio.

O QS 10000 Abanca Galícia Surf Classic Pro está sendo transmitido ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e a primeira chamada para a quinta bateria da quarta fase, dos brasileiros Alex Ribeiro e Marcos Correa com o sul-africano Matthew McGillivray, será às 10h30 da sexta-feira na Espanha, 5h30 da madrugada no horário de Brasília.

Comentários