Surf Attack 2017 tem final no sábado e domingo na Praia do Tombo

Campeonato que revelou e formou Medina, Mineirinho, Filipinho e tantas outras estrelas do surf brasileiro rola neste fim de semana


Os 30 anos de história credenciam. Os atletas revelados e formados no Hang Loose Surf Attack fazem do circuito, sem dúvida, o mais importante nas categorias de base do País. Exemplos não faltam. Entre eles, os campeões mundiais, Gabriel Medina e Adriano de Souza, o Mineirinho, e também outras estrelas do CT, como Filipe Toledo, Wiggolly Dantas, Caio Ibelli, Miguel Pupo.

Wiggolly Dantas. Foto: Ivan Storti.

Wiggolly Dantas. Foto: Ivan Storti.



Dos nove atuais brasileiros na elite, apenas Italo Ferreira não passou pelo evento. Outro grande destaque é Jessé Mendes, atual número 1 do ranking QS e já classificado para a primeira divisão em 2018. O Hang Loose Surf Attack está, intrinsicamente, associado à história mais recente de sucesso do surf brasileiro mundo afora. Ainda muito pequenos, os nossos representantes do Circuito Mundial já se enfrentavam atrás dos títulos paulistas, desde as disputas sub10.

O presidente da Federação Paulista de Surf, Silvio da Silva, o Silvério, define bem o que é o circuito. O último degrau antes do profissionalismo. “Uma escola de competição na prática. Eles são preparados para seguir adiante como profissionais”, resume o organizador do Circuito, junto com Marcos Bukão, que há mais de duas décadas também é diretor técnico dos mundiais da International Surfing Association (ISA).

Gabriel Medina. Foto: Ivan Storti.

Gabriel Medina. Foto: Ivan Storti.



Estrelas dessa trajetória também lembram com carinho de seus inícios. “Foi o começo de tudo. Já começamos a nos enfrentar desde novinhos. Foi uma boa escola mesmo”, afirma Gabriel Medina. “Desde muito pequeno estava lá disputando. Foi uma experiência muito boa para o que veio pela frente”, complementa Jessé Mendes.

A primeira edição para definir os títulos paulistas sub18 aconteceu em 1988 e desde 1995 o campeonato é patrocinado pela Hang Loose, marca do empresário Álfio Lagnado, que tem total identidade com o surf nacional e responsável por vários “capítulos” da história do esporte, como a equipe desbravadora no Circuito Mundial, com Fábio Gouveia e Flávio Teco Padaratz e as emblemáticas etapas do Tour, Hang Loose Pro Contest.

Nestes sábado e domingo (21 e 22), a Praia do Tombo, em Guarujá, recebe a 4ª e última etapa do circuito deste ano, para definir os novos campeões estaduais em cinco categorias e também a cidade número 1 da temporada. “O trabalho segue sendo feito para sempre revelarmos e formarmos novos valores para o surf brasileiro. Recebemos atletas de vários estados, sempre em busca do excelente nível técnico que o campeonato proporciona”, adianta Silvério.

Alax Soares. Foto: Munir El Hage.

Alax Soares. Foto: Munir El Hage.



Na categoria júnior (sub18), Alax Soares chega para comemorar o bicampeonato e “em casa”. O surfista ainda não venceu nesta edição, mas manteve grande regularidade, chegando as três finais. Na mirim (sub16), Daniel Adisaka, que é de Ubatuba e hoje mora em São Sebastião, é o líder. Na iniciante (sub14), o primeiro lugar está com Cauã Costa, cearense radicado no Rio de Janeiro. Entre os surfistas da estreante (sub12), quem está na frente é Guilherme Fernandes, de São Sebastião.

A disputa mais acirrada e que promete reviver os bons tempos de Filipinho, Medina, Jessé e cia ltda, é a petit (sub10). Três surfistas competem empatados matematicamente. Murillo Coura, de São Sebastião, e Daniel Duarte, de Bertioga, estão com 1.556, enquanto que Ryan Coelho, paranaense que agora mora em Maresias, tem 1.539. Já no ranking por cidades, Ubatuba, São Sebastião e Guarujá duelam pelo lugar mais alto do pódio.

A competição tem início neste sábado, às 8 horas. No domingo, as baterias serão reiniciadas no mesmo horário. Quem não for na praia, tem a opção de acompanhar o evento pela transmissão ao vivo pela internet, no link hangloose.com.br/surfattack2017. Fora do mar, os atletas contam com diversas brincadeiras, como pebolim, ping pong, futebol, ginganas e sorteios.

Comentários