WSL: André Gioranelli analisa a etapa de Teahupoo

COLUNISTA WSL


Confira a análise precisa de André Gioranelli, analista da WSL, sobre a última etapa do circuito. Vale o drop!

A etapa de Teahupo’o foi sem dúvida a melhor etapa do ano até agora. E deu para perceber bem quem tem garrafas para vender e quem não tem. Primeiro dia com ondas pequenas e inconsistentes e duas ondulações brigando Sul e Oeste deixando as ondas mexidas - com destaque para o tubo de Peterson Crisanto 8.17 vindo de trás do pico. Segundo dia tivemos o round eliminatório e perdemos o Brasileiro Michael Rodrigues, que infelizmente não se encontrou nas ondas pequenas e inconsistentes de Teahupo’o.

Owen levou a etapa com maestria -  Foto: WSL

Round dos 32 e também dos 16 tivemos as melhores ondas do ano com um verdadeiro espetáculo dos principais nomes do circuito com destaque para Jadson André, Owen Wright, ADS, Jordy Smith, Jeremy Flores, Gabriel Medina, Seth Moniz e Caio Ibelli -  que com um surfe sólido pegou altas bombas sem medo de ser feliz. Filipe Toledo terminou com a nona posição mas vai para a próxima etapa como o líder do circuito ( tem que evoluir em ondas de consequência o tempo irá dizer). Na próxima etapa ( piscina do Kelly ) é junto com Gabriel Medina um dos favoritos a vencer no Surf Ranch.

Medina domina dos barrels  -  Foto: WSL

Último dia do evento já na primeira bateria tivemos a nota 10 do Owen Wright, a segunda do evento pois no dia anterior tivemos um 10 do monstro GM o surfista mais consistente em Teahupo’o nos últimos 5 anos. Jadson, ADS e Caio Ibelli terminaram com a quinta colocação no evento, enchendo de orgulho o povo brasileiro. Com muita atitude e técnica eles deram um verdadeiro show provando que a tempestade Brasileira pode durar anos!!! DVD terminou com a nona colocação,  e já postou em sua rede social que vai trabalhar para evoluir em ondas como essa.

Filipinho entocando -  Foto: WSL

Parabéns Owen Wright vice-campeão ano passado e provando que é um dos surfistas mais respeitados do tour quando o assunto são ondas de consequência. A próxima etapa promete trazer o que há de mais radical no circuito, e eu deposito as minhas fichas em três surfistas: Gabriel Medina, Filipe Toledo, Kanoa Igarashi correndo por fora Ítalo, Jordy, Kolohe.

Quem pode surpreender?! Eu acredito no Michael Rodrigues pela sua facilidade de surfar com velocidade e radicalidade. Nesse evento ele não terá que escolher onda boa durante a sua bateria, o seu ponto fraco, pois  todas as ondas são iguais.

Boa sorte a todos!!!!

Até a próxima.

Andre Gioranelli  @gioranelli77

Comentários