X-TRAFOAM - Um novo conceito em espuma de poliuretano

É a primeira vez que alta performance e custo-benefício andam juntos


 

A evolução do equipamento é constante em todos os esportes e no surfe não poderia ser diferente.

Flávio Carioca, um aficionado pela engenharia de materiais, traz para o Brasil um novo bloco que promete revolucionar o mercado. No texto abaixo ele explica esse novo conceito em espuma de poliuretano.

Nos últimos 25 anos venho sendo o crítico mais ferrenho dos blocos de poliuretano para fabricação de pranchas. Em 1956, quando Hooby e Gordon Clark criaram a Clark Foam, eles evoluíram as pranchas e a maneira de surfar com essa matéria prima de poliuretano. O surfe ficou muito mais rápido e radical.

Infelizmente o poliuretano não evoluiu na mesma proporção que a radicalidade do esporte e as pranchas estragam cada vez mais rápido. Fabricantes e consumidores são obrigados a escolher entre pranchas com mais performance e menos durabilidade ou menos performance e mais durabilidade.

Foi isso que me levou a criar o Conceito Keahana (sistema de construção TRIAXIAL EPS/Epoxy), visando uma prancha de surfe que mantivesse sua resiliência 5 vezes mais tempo, pois mesmo custando o dobro de uma prancha feita com os poliuretanos comuns, a relação custo-benefício ainda é vantajosa para todos.

Nessa busca por inovação, o shaper Alcides Roydy, da nossa base KEAHANA em Tenerife, na Espanha, me chamou atenção para o bloco de poliuretano X-TRAFOAM feito por Rod Mac Donald, dizendo que o X-TRAFOAM era diferente de todos os outros blocos comuns.

Os blocos de poliuretano comum com pouca massa e mais ar são bem flexíveis, excelentes para produzir pranchas de alta performance. Mas nesse caso tem sua durabilidade comprometida. Este fato limita muito o seu acesso ao consumidor comum, pois o custo de bancar a reposição das pranchas é altíssimo fazendo com que apenas atletas bem patrocinados e clientes de alto poder aquisitivo possam usar esse tipo de material.

A solução dos fabricantes e lojistas para melhorar o custo benefício do poliuretano comum foi bem simples: produzir uma prancha de surfe mais durável utilizando blocos com mais massa (células menores), consequentemente mais duros. O mercado mundial se acostumou com essa condição. Acontece que esses blocos não se moldam o formato da base do surfista, menos flexíveis, menos resilientes e geram uma prancha mais “travada”, o que limita a evolução e a performance do surfista comum.

Para solucionar isso, Rod Mc Donald mudou a estrutura molecular do poliuretano alterando e aumentando a parede das células, o que deixou o bloco mais leve e mais resistente a temperaturas e pressão. Isso permite que o surfista consiga moldar a sua base amassando levemente as pranchas sem fazer as células explodirem como nos blocos de poliuretano comum, aumentando em muito a longevidade da prancha de surf e o potencial de performance.

O “drive” também fica mais controlado, pois além de homogêneo esse bloco torce no eixo e flexiona como nenhum outro, mantendo a resiliência e sua energia de resposta sempre no máximo. O resultado é uma prancha que se projeta de forma única, proporcionando um desempenho muito melhor.

XTRAFOAM. Foto: divulgação.

X-TRAFOAM. Foto: divulgação.

Por essa razão digo que Rod Mc Donald é um gênio do poliuretano! Todos que já conheciam e eram fãns de sua criação ficarão alucinados ao experimentar o X-TRAFOAM HIGH LEVEL que ele vem desenvolvendo nos últimos anos em parceria com shapers e atletas brasileiros. É a primeira vez que alta performance e custo-benefício andam juntos.

A X-TRAFOAM já está disponível nos seus distribuidores por toda costa do Brasil em parceria com grandes fabricantes,  pois são eles que proporcionam e extraem o melhor da tecnologia X-TRAFOAM.




Instagram @XtrafoamBrazil

Contatos:

Comentários