Galeria de fotos e vídeo: Arpoador Clássico rola com altas ondas

SURF


 

O local Pikachu levou a melhor na Open - Foto:Ana Paula Vasconcellos

Nos últimos dias 24 e 25 (sexta e sábado), um sólido swell de sudeste atingiu o litoral do Rio de Janeiro, ligando a máquina de esquerdas da praia do Arpoador, na zona sul do Rio. Com a janela de espera para o "Arpoador Clássico" aberta e chegando ao fim, a direção do Arpoador Surf Club – ASC não teve dúvidas em chamar o campeonato mais tradicional do berço do surfe carioca, que em 2020 não foi realizado devido à pandemia. (GALERIA DE FOTOS NO FINAL DA MATÉRIA )

Agora apresentado pela Cerveja Praya e tendo o co-patrocínio da surfwear paulista Hang Loose, o evento deste ano recebeu alvará da Prefeitura do Rio para ser realizado apenas com atletas vacinados contra a Covid-19, e respeitando as demais regras sanitárias vigentes no município do Rio de Janeiro. Mais do que uma competição, o "Arpoador Clássico" é um encontro de gerações, para celebrar a história de um dos principais palcos do surfe competição do Brasil.

As tradicionais esquerdas do Arpex - Foto: Ana Paula Vasconcellos

E nada melhor para isso do que reunir ícones do surfe brasileiro como Rico de Souza, Cauli Rodrigues, Ricardo Bocão, Otávio Pacheco, dentre outros, nas categorias Legends (pranchinha e pranchão). Convidados pelo ASC, esses "jovens" com mais de 60 anos tiveram a oportunidade de ter o line up do Arpex em um dia clássico liberado só para eles poderem reviver os seus bons momentos no pico. Os destaques nos trinta minutos de bateria foram o Rico de Souza (no pranchão) e o Lipe Dylong (na pranchinha). Mas, cabe ressaltar que não eram baterias de competição e sim de apresentação, de modo que todos saíram vencedores.

Bocão e Otávio Pacheco - Foto: Ana Paula Vasconcellos

 

Ao público restou aplaudir esta verdadeira aula de amor e dedicação ao esporte. Nas disputas pra valer, destaque para o domínio do surfe de backside na categoria Open, com quatro surfistas de base regular fazendo a final. Lembrando que o "Arpoador Clássico" tem um formato diferenciado, no qual todos os atletas surfam uma bateria no primeiro dia e outra no segundo. Ao final dos dois rounds, são somadas as quatro melhores ondas de cada um, independente do round, e os quatro primeiros da classificação geral fazem uma bateria final, levando a média das quatro melhores ondas da fase sem eliminação.

Bruno Coutinho - Foto: Ana Paula Vasconcellos

Os finalistas da Open foram o surfista local Anderson "Pikachú", cria do morro do Cantagalo e atual campeão do circuito local, o local power surfer Bruno Coutinho, o ex-surfista profissional Marcelo Bispo, e o atleta da nova geração de Niterói, Caio Knappi, autor da maior nota da primeira fase (com um tubo profundo). Na final, "Pikachú" foi para a terceira laje e atropelou todos os adversários, colocando três notas acima de oito pontos no somatório para se consagrar campeão mais uma vez. Pulando de quarto para segundo com uma grande atuação na final, ficou o Marcelo Bispo, com Bruno Coutinho em terceiro e Caio Knappi em quarto completando o pódio.

Na categoria Grand-Master, para atletas com 40 anos ou mais, os goofy-footers conseguiram colocar a maioria na final, porém, foi outro surfista de base regular quem faturou o título, Leonel Brizola. Profundo conhecedor do pico e também ex-surfista profissional, "Brizolinha" atacou as paredes do Arpex com fortes rasgadas chutando a rabeta, e venceu com larga margem de diferença o surfista do Leme, Marcelo Lacerda (2º), com Fernando Vilhena em terceiro, e Eduardo Chalita em quarto.

O legend Ricardo Bocão participou do evento - Ana Paula Vasconcellos

A categoria Feminino foi a redenção goofy, com Ariane Mateik em primeiro e Letícia Moraes em segundo, duas surfistas locais que surfam com o pé direito à frente na prancha. Em terceiro ficou a surfista de Arraial do Cabo, Victória Ribeiro, com Kim Battaglin (4ª), Fernanda Avelino (5ª) e Luisa Ramos (6ª) completando a final das seis atletas que subiram no pódio.

Open

1. Anderson Carvalho "Picachú"

2. Marcelo Bispo "Preto-Loro"

3. Bruno Coutinho

4. Caio Knappi

Grand-Master (40+)

1. Leonel Brizola

2. Marcelo Lacerda

3. Fernando Vilhena "Xará"

4. Eduardo Chalita

Feminino

1. Ariane Mateik

2. Letícia Moraes

3. Victória Ribeiro

4. Kim Battaglin

5. Fernanda Avelino

6. Luisa Ramos

Legends Pranchinha (60+)

Cauli Rodrigues

Ricardo Bocão

Otávio Pacheco

Moysés Levy

Lipe Dylong (destaque)

Legends Longboard (60+)

Rico de Souza (destaque)

Gian Cacciola

Ricardo Sirotsky

Guanabara

Agradecimentos especiais

O Arpoador Surf Club agradece a todos que ajudaram a viabilizar este evento, aos atletas e à nossa equipe de trabalho (staff): Guilherme Aguiar (organizador/diretor de prova); Magno Mexicano (produção); Renata Mattos (assistente); Paulo Dolabella (head); Rubens Goulart (head); Marcio Monteiro (árbitro); Claudio Alberti (árbitro); Simão Romão (árbitro); Pablo Souza (árbitro); Henrique Prates (locutor); Ricardo Lopes (locutor); Ewerton Marques (spotter); Roberto Montilho "Mé" (beach-marshall); Alexandre Silva "Rascunho" (beach-marshall); Jean Carlos (segurança de água); Ítalo Scooby (segurança de água); Bimbo (apoio); Rodrigo Carvalho "Tico" (apoio); Ana Paula Vasconcelos (fotógrafa); Daniel Quintanilha (filmagem); Ulisses Leão (sonorização); E a toda a galera local que apoiou e prestigiou.

 

Comentários