Andrea Lopes dropa no Ricosurf

Andrea Lopes fala de seus planos, surfe feminino entre outros assuntos


Andrea em entrevista para o programa Stadium. Foto: arquivo pessoal.

Tetracampeã brasileira de surfe profissional, uma das surfistas mais conhecidas do Brasil, empresária, coach e ainda com todo o gás. Andréa Lopes segue surfando quase todos os dias, rema forte no pico ao lado dos marmanjos e ainda tem o brilho no olhar quando fala em surfe.

Atualmente a surfista, que há 20 anos atrás já traçava estratégias de competição, se preocupava com sua relação com seus patrocinadores, e tornou-se a única mulher a vencer a etapa brasileira do Circuito Mundial de Surf no Brasil, está à frente de sua escola de surfe, continua patrocinada e totalmente engajada nas causas relacionadas ao esporte. Na entrevista abaixo Andrea fala sobre seu momento atual, planos entre outros. Vale o drop!

Andrea Lopes. Foto: Ana Catarina

 Ricosurf: Quais seus principais projetos atualmente?
A Andrea Lopes Surf School, e surf coach da equipe Nova Geração Guaraviton continuam sendo minhas duas maiores paixões. Na escola tenho contato com surfistas iniciantes, crianças, adultos e esse início no esporte é encantador.

Ricosurf: Apesar de termos uma força muito grande no surfe masculino, no feminino não temos uma representação tão atuante. A que se deve isso em sua opinião?

Temos duas tops muito boas! A Tatiana Weston Webb e a Silvana Lima. Mas existe sim um gap entre as gerações e por isso não temos renovação a curto prazo Existe uma espaço de quase 20 anos entre a geração da Silvana e a geração da Sophia Medina. Por isso que acho q o surf feminino ainda vai demorar para trazer resultados expressivos. Apesar de todas elas surfarem MUITO!!!!

Andrea foi vice campeã panamericana em 2017 no Peru. Foto: arquivo pessoal.

Ricosurf: Se você fosse apontar destaques entre as meninas que estão competindo no Brasil, quais seriam?
Sophia Medina e Julia Duarte.

Ricosurf: Você tem alguma competição em vista?
De surfe não. Mas como amo competir, estou buscando provas de natação no mar, travessias, etc.

Ricosurf: Fale sobre ser patrocinada por uma marca fora do mercado do surf?
A Guaraviton é uma empresa ímpar. . . Sensacional! Temos uma relação de muita parceria, crescimento e respeito.Há cinco anos estamos crescendo juntos e conquistando os espaços no mundo do surf.


Ricosurf: Como é o seu trabalho com a Equipe Nova Geração Guaraviton?
Meu trabalho é sensacional. São três adolescentes que a gente tem o foco de high performance de evolução. Fazemos treinos de filmagens, viajamos para El Salvador, Costa Rica e Peru. O Gustavo Fernandes, campeão brasileiro de surf profissional em 2008, também é coach. Fazemos um trabalho no qual eu sou a head coach e tenho os meus treinadores: Pedro Neves, Samuel Igo e o Gustavo. Nossa meta é evolução. Entramos em competição, mas não é o foco principal. A ideia é que eles aprendam os principais conceitos inerentes a uma competição, como ganhar e perder, frustrações, saber lidar com as vitórias e derrotas. . . Eles vêm numa crescente intensa, de quatro anos pra cá evoluíram muito. Temos planos para 2020, mas temos que dosar de acordo com o crescimento e com sua escola, que é a Escola Britânica, que exige muito de seus alunos. Eles não vão ser surfistas profissionais, mas terão um esporte maravilhoso inserido em suas vidas.

Andrea e seus pupilos. Foto: arquivo pessoal.

Ricosurf: O que você acha que falta para que haja mais investimento no surfe feminino?
Acredito que falta mais apoio de patrocinadores e da mídia para o surfe feminino. Não dá pra seguir o andar da carruagem natural, tem que acelerar. Tem que ser uma energia duplamente investida em relação às empresas, de ter um olhar diferente, da confederação fazer trabalhos direcionados para o surfe feminino. Esse seria um ótimo norte.

Ricosurf: O que você diria para uma menina que está pensando em ser uma competidora no Brasil
Que o segredo é ter disciplina, treinar, se superar, saber lidar com vitórias e derrotas. A competição é uma escolha árdua, porque os holofotes podem estar em você, mas vão ter horas que ninguém te olha. É um grande aprendizado e quem gosta de competir tem que saber lidar com isso, porque é uma decisão de vida. Eu não me arrependo em nada de ter escolhido ser uma surfista competidora.

Samuel Igo faz parte dos treinadores da Andrea Lopes Surf School. Foto: Ana Catarina

Ricosurf: Quem te inspirou e te inspira no esporte?
Foi o Tom Curren. Tinha a Lisa Andersen, mas depois ela virou minha adversária no circuito. Também tem o Kelly Slater, pelo estilo, pela postura fora da água e pela disciplina no surfe competição. Admiro ele por  tudo que representa para o surfe o esporte como um todo.

Ricosurf: Deixe uma mensagem para a galera do Ricosurf:
Continuem surfando, treinando e focando em seus objetivos.

Comentários