Karol Ribeiro celebra ano de conquistas

Surfista de Cabo Frio vai representar o Surf Feminino do Brasil nos Jogos Pan-americanos de Lima em 2019


O ano de 2018 jamais sairá da lembrança da surfista de Cabo Frio Karol Ribeiro. Vice-campeã latino-americana, vaga nos Jogos Pan-americanos Lima 2019, dois pódios no circuito QS, quatro no ALAS Latin Tour e a quarta colocação no circuito Brasileiro profissional da ABRASP. Todos estes resultados foram conquistados no seu segundo ano como profissional.

Karol Ribeiro. Foto: divulgação.

Karol Ribeiro. Foto: divulgação.



“Foi realmente um ano muito especial para mim. Fui bem no ALAS, onde consegui uma vitória em El Salvador e mais três pódios; fiz dois pódios em eventos da WSL; pódio no Brasileiro; e a grande conquista do ano, que foi a vaga para representar o surfe feminino do Brasil nos Jogos Pan-Americanos de Lima 2019”, disse Karol.

“Será um grande orgulho vestir a camisa verde e amarela e representar a nossa nação. Fiz parte da Seleção Brasileira Junior por cinco anos seguidos nos Mundiais da ISA e sei muito bem qual é este gostinho, e a responsabilidade. Mas acho que dessa vez será mais especial ainda, pois se trata do segundo maior evento esportivo do mundo, com estádio olímpico, vila dos atletas, várias modalidades e os melhores atletas reunidos. Será a realização de um sonho, sem contar que se trata da estreia do surfe como esporte olímpico, ou seja, um momento histórico”.

Karol Ribeiro. Foto: divulgação.

Karol Ribeiro. Foto: divulgação.



A preparação para a temporada 2019 da atleta já começou, e ela fará um intensivo para a parte física e técnica, pois os campeonatos começam no início de janeiro.

“Em 2018 o meu foco foi no Circuito Latino-Americano, pois visava a vaga do Pan, e não tinha verba para correr os QS também, por isso, só participei das etapas da perna sul-americana.  Já em 2019 pretendo correr mais etapas da WSL. Se possível as do primeiro semestre, visando minha preparação para o Pan, que será em julho”, comentou a surfista. Para participar de uma quantidade maior de eventos do QS, a atleta busca por parceiros que ajudem a viabilizar o seu projeto.

Karol Ribeiro. Foto: divulgação.

Karol Ribeiro. Foto: divulgação.



“Correr o QS é muito caro, graças a Deus tenho alguns patrocínios e apoios que têm me ajudado bastante a participar dos campeonatos, porém ainda não é o suficiente para participar das pernas europeia e australiana do circuito, o que dificulta bastante na melhora do ranking, pois muitos eventos do QS de nível 6000 estão nestas pernas”.

Comentários