Mundial de Longboard 2019 começa com ondas fracas e 4 brasileiros eliminados

Gabriel Nascimento, Carlos Bahia, Eduardo Bagé e Jefson Silva se despediram do evento


O primeiro dia de competição do Noosa Longboard Open – etapa de abertura do Campeonato Mundial de Longboard - começou na manhã desta quinta-feira (7) – horário da Austrália - com ondas fracas e pequenas, dificultando a vida dos brasileiros. Entraram na água os atletas Gabriel Nascimento, Carlos Bahia, Eduardo Bagé e Jefson Silva. Com ondas menores do que o esperado, eles não passaram suas baterias e foram eliminados da etapa de Noosa.

Carlos Bahia. Foto: Isabela Rangel.

Carlos Bahia. Foto: Isabela Rangel.



Gabriel Nascimento foi o primeiro brasileiro a entrar na água, na sétima bateria do round 2, contra os americanos Justin Quintal e Reilly Stone; e o australiano Frank Murphy. Quintal e Murphy avançaram com 10.06 e 9.10, respectivamente; Murphy ficou em terceiro com 8.27 e Gabriel em quarto, com 7.94.

O segundo brasileiro a competir foi Carlos Bahia, na bateria seguida de Gabriel. A disputa onda a onda foi tensa e o brasileiro ficou em segundo por boa parte da bateria, mas acabou eliminado pela minúscula diferença de 0.7. Seus adversários eram o havaiano Nelson III Ahina e os australianos Matt Mulder e Aidan Feeley. Ahina passou em primeiro, com 11.50; Mulder em segundo com 9.10, Carlos Bahia ficou em terceiro com 9.03; e Feeley em quarto com 8.77.

A abertura do round 3 contou com o brasileiro Eduardo Bagé, que também não conseguiu avançar. Os americanos Troy Mothershead e Saxon Wilson venceram com 11.87 e 9.10, respectivamente; Bagé ficou em terceiro com 8.33, e o australiano Dean Bevan em quarto com 4.53.

Eduardo Bagé. Foto: Isabela Rangel.

Eduardo Bagé. Foto: Isabela Rangel.



Jefson Silva entrou na água na quarta bateria do round 3 contra os australianos Nicholas Brewer e Ben Considine; e o peruano Lucas Garrido. Brewer avançou em primeiro com 12.37, Garrido em segundo, com 11.43. Considine foi eliminado com 9.34, assim como o brasileiro, que teve 8.76.

A disputa masculina conta com três rounds de 4 atletas (8 baterias cada round), os dois melhores pontuados avançam de fase. O round 4 será disputado entre 3 atletas (8 baterias), o round 5 entre dois (8 baterias) até chegar nas quartas de final, semifinal e final. A feminina também começou hoje, mas sem a estreia das brasileiras, que entram na água amanhã (sexta-feira, 8), no round 2. A disputa conta com dois rounds com 4 atletas (8 baterias cada round), as duas melhores avançam, o round 3 entre três atletas (8 baterias), o Round 4 entre duas (8 baterias), até chegar nas quartas, semifinal e final.

Parte do time brasileiro em Noosa. Foto: Isabela Rangel.

Parte do time brasileiro em Noosa. Foto: Isabela Rangel.



O segundo dia de competição, sexta-feira (8), na Austrália, vai começar com as baterias 7 e 8, finalizando o round 3. Wenderson Biludo e Rodrigo Sphaier estão cada um em uma bateria (7 e 8 respectivamente) lutando para seguir no evento, que, se não tiver ondas com melhor qualidade, pode ser transferido para uma das outras praias ao redor.

A sexta-feira vai contar também com a estreia do bicampeão mundial, Phil Rajzman, que já começa no round 4; e da vice-campeã mundial, Chloé Calmon, além de Atalanta Batista e Monique Pontes, que estreiam no round 2.

Phil Rajzman. Foto: Isabela Rangel.

Phil Rajzman. Foto: Isabela Rangel.



O evento, que conta com mais de 100 surfistas, entre homens e mulheres de vários países do mundo, acontece pela primeira vez em Noosa Heads – a 136 quilômetros de Brisbane (capital de Queensland). Noosa Heads é um lugar icônico na história do longboard mundial onde há 26 anos rola um dos mais tradicionais festivais de celebração da cultura do longboard, o Noosa Festival of Surfing, com competidores locais.

A competição em Noosa Heads faz parte da nova fase do Longboard Championship Tour, elaborada pela World Surf League (WSL). Com a reestruturação, o Circuito segue em agosto para Galicia, na Espanha; Long Island, Nova York, em setembro; e a grande final em Taiwan, na China em dezembro.

A turma brasileira na Austrália é formada por Phil Rajzman, Chloé Calmon, Atalanta Batista, Carlos Bahia, Gabriel Nascimento, Monique Pontes, Wenderson Biludo, Jefson Silva, Eduardo Bagé e Rodrigo Sphaier. O Noosa Longboard Open está sendo transmitido até o dia 10 de março pelo site worldsurfleague.com, pelo aplicativo da WSL e pelo Facebook LIVE.

Comentários