BWT 18/19 - Lucas Chianca é vice e Grant Baker o campeão

Numa final alucinante, com 31 ondas surfadas e várias trocas de posições, o sul-africano conseguiu bater o saquaremense que defendia o título da prova


Lucas “Chumbo” Chianca é um monstro e provou isso mais uma vez hoje, em Nazaré, Portugal. Foi lá que aconteceu a 1ª etapa do Circuito Mundial de Ondas Grandes 2018 / 2019 da WSL. Em bombas que passaram de 20 pés em algumas séries, o saquaremense venceu duas baterias, numa delas (semi) chegou perto da nota máxima com um tubaço (9,60), e na eletrizante final bateu na trave, terminando como vice-campeão. O vencedor foi o sul-africano Grant Baker, o cara que surfou mais ondas na final (8), tendo como melhores notas 8,67 e 7,70 pontos.

Lucas "Chumbo" Chianca na onda nota 9,60. Frame: WSL.

Lucas "Chumbo" Chianca na onda nota 9,60. Frame: WSL.



Todas as baterias tiveram duração de 1h e a final foi a que teve o maior número de ondas surfadas: 31. Lucas começou bem, mas perto do meio da bateria começou um troca-troca de posições. O big rider do País Basco Natxo Gonzalez, autor de uma nota 10 na semi, assumiu a liderança. Depois Grant passou pra primeiro, e na sequência o português João de Macedo assumiu a 3ª posição, deixando o saquaremense em 4º, mas Lucas dropou outra craca pra esquerda e foi quicando durante todo o drop, porém manteve o controle e fez toda a onda. Ele conquistou 8,07 e assumiu a vice-liderança. Grant ainda trocou nota numa série que Lucas remou na primeira e não conseguiu entrar. O sul-africano foi na de trás e garantiu o título.

Grant Baker (AFR). Frame.

Grant Baker (AFR). Frame.



Na terceira posição ficou Natxo, em quarto o português Alex Botelho, seguido de outro big rider de Portugal João Macedo (5º) e do australiano Russel Bierke (6º), que há poucos dias foi amassado por duas ondas gigantes em Nazaré.



Perto do 10

Lucas “Chumbo” Chianca foi ousado e muito seguro durante todo o evento, e na semifinal dropou uma esquerda gigante, já foi virando para o tubo, entrou e saiu. Um momento insano que valeu a segunda maior nota do Nazare Challenge: 9,60 pontos.

Entrevista exclusiva

Não é de hoje que Lucas se destaca em ondas de consequência. Durante a temporada havaiana 2014 / 2015, o saquaremense roubou a cena em Pipeline e foi um dos grandes destaques no pico.

Confira a entrevista exclusiva que a equipe do Ricosurf fez nas areias de Pipe:



BWT 18 / 19

Depois de Nazaré o BWT 18/19 pode seguir tanto para Mavericks, na Califórnia, ou para Jaws, no Hawaii. A janela para a realização dessas duas etapas já está aberta e vai até 31 de março.

Comentários