Exclusivo: Alemão de Maresias dropa no Ricosurf

Big rider brazuca fala de seus planos, tow in, entre outros assuntos.


Se você perguntar a dez entre dez big riders no mundo quem ele desejaria como companheiro em uma sessão de big surf, provavelmente a maioria vai apontar para Edilson Assunção, o Alemão de Maresias. Prestes a completar 50 anos, Alemão é oriundo de uma geração da qual fazem parte nomes como em Taiu e outros dinossauros que desbravaram as ondas do Litoral Norte de São Paulo. Eles eram os caras na praia e Alemão nessa época uma espécie de aprendiz.

Alemão virando em uma big direita - Foto: Ancelmo Venansi

Alemão à época um pouco mais jovem, convivia com essa rapaziada, surfou muitos mares grandes em Maresias, Havai, Ilha de Páscoa, Nazaré, Chile,  e hoje tornou-se um dos mais respeitados watermans do mundo. Há alguns anos o big rider mudou sua base para o Rio de Janeiro, mais precisamente para o Recreio dos Bandeirantes, onde vive com sua família e segue trabalhando com o que mais gosta: o mar e as ondas grandes. 

Ricosurf: Fale sobre seus projetos atuais:

Atualmente me dedico a treinar pessoas no row in, resgate, entre outras técnicas. Também sigo buscando ondas em Lajes. Outra parte do trabalho compreende em dar suporte para grandes produções: campeonatos, filmagens, entre outros. Também promovo experiências para pessoas - capacitadas - que pretendem ter uma experiência no Tow in. Nessas experiências há a possibilidade de trips para Nazaré, por exemplo. Também estou dando suporte e treinando a Aline Adisaka para ondas grande.

Alemão em uma morra em Nazaré - Foto: arquivo pessoal

Ricosurf: O que representou pra você a mudança para o Rio?
Muita coisa, busca por novas ondas, trabalhos, amizades e o mais importante estrutura para minha minha família.Sou muito grato às amizades e oportunidades que o Rio me proporcionou!

Ricosurf: O tow in começou como uma ferramenta que possibilitava aos big riders pegar ondas grandes com mais facilidade. Hoje a tendência voltou mais para o surfe de remada. Como você analisa o papel do tow in hoje?
Acho que o Tow in e a moto aquática são o suporte ideal para o Big Surf. Pois graças a ele o Big surf está onde está e alcançou um nível de evolução tão grande. Quando você vê que tem alguém que está ali na sua sessão de ondas grande, e que pode te ajudar - no caso de salvamentos com a moto aquática - qualquer um fica mais confiante.

Alemão é um dos melhores pilotos do mundo em situações extremas  - Foto: arquivo pessoal

Ricosurf: Na sua opinião, quem são os principais destaques do surfe em ondas grandes no mundo
Lucas Chumbo, Kai Lenny, Natxo Gonzales, Othmane Choufani, João de Macedo, Pedro Calado entre outros.

Ricosurf:Você acredita que o surfe em ondas grandes caminha na direção das manobras mais inovadoras?
Inovadoras não sei, mas com grau de dificuldade e comprometimento sim. Acho que está mais para a alta performance e superação de limites do próprio atleta.

Alemão na laje de Manitiba, Jaconé - Foto: Renan Vignoli

Ricosurf: Você consegue vislumbrar algo diferente acontecendo no “mundo” dos foil boards?
Acho que o foilboard é mais um complemento para o surf e uma forma de pegar ondas mesmo em dias pequenos e ruins.

Ricosurf: Na sua opinião, quais são as próximas fronteiras a serem vencidas no big surf?
Eu acho que Nazaré segue sendo um dos maiores desafios e a busca por ondas grandes e tubulares!

Ricosurf: Você desenvolve algum tipo de treinamento com atletas?
Sim, para profissionais e amadores. Agora estou treinando a campeã brasileira de SUP Wave Aline Adisaka nas big waves.

Alemão virando no style - Foto: Marcelo Bicudo

Ricosurf: O que você diria para um surfista que deseja se tornar um big rider?
Buscar conhecimento e treinar muito. Treinar no mar eu digo, buscar boas ondas conhece-lo bem!


Ricosurf: Que tipo de equipamento você tem usado?
Tenho surfado de de várias maneiras. Com com as pranchas convencionais mas também de Tow in, SUP e Canoas Polinésias. Com as pranchinhas estou usando uma Bi-quilha 5’11 swalow do Jonhny Cabianca E uma 6’0 do Alexandre Akiwas, ambas muito boas! Para o Tow in uso um modelo Híbrido do Akiwas: uma 5’10 round pin. Posso usar na remada, de stepoff e colocar alças pra fazer Towin. Prancha irada!

Comentários