Artigo: Crowd insuportável gera acidentes na Praia da Macumba

SURF


 

Crowd no Canto do Recreio - Foto: Fedoca Lima

Como cantou o poeta Cazuza em sua música Ideologia: “o meu prazer agora é risco de vida”.
Em analogia a canção de Cazuza, assim caminha o surf por causa de surfistas inconsequentes, que
entram no mar sem cultivar a essência magnífica desse esporte saudável que não para de crescer no
mundo inteiro e desperta em seus praticantes os benefícios no contato com a natureza, a saúde do
corpo e a importância do meio ambiente preservado e equilibrado. Verdadeira terapia para nossas
mentes, nos trazendo força e vontade para superarmos os desafios aos quais nos foram designados para
a evolução de nossos espíritos na breve passagem que viemos traçar no planeta Azul.

Visual da Praia da Macumba fotografado por Abílio Fernandes

Ainda lembrando Cazuza: “meu partido é um coração partido”, “ideologia... quero uma pra viver” e
indignado com o acidente, que por pouco não foi fatal, ocorrido no último domingo (25/04/2021) na
praia do Pontal, também conhecida como “Macumba”, quando o surfista Fernando Baeta, foi atingido
na cabeça pela quilha de uma prancha de Stand up, causando um corte muito extenso, chegando a
soltar o tampo de seu couro cabeludo. Ele foi socorrido por outros surfistas e levado ao hospital onde
tomou 13 pontos. Tudo isso diante de sua mulher grávida que o acompanhava.

Lesão séria por conta do acidente - Foto: Fernando Baeta

Todos sabemos, que acidentes podem ocorrer, principalmente num mar lotado de surfistas como tem
sido de praxe aqui na praia da Macumba e acredito que ninguém tenha a intenção de machucar de
forma proposital quem quer que esteja dentro d´água.Mas o fato que deixou chocado todos que tiveram ciência do ocorrido, foi a omissão de socorro do dono da prancha de stand up que atingiu Fernando.
Ele viu Fernando todo ensanguentado e simplesmente, pegou sua prancha e voltou calmamente para o
outside e continuou surfando.Inacreditável um “ser humano” tomar uma atitude lamentável dessas. Dispensa até mais comentários.

Tenho presenciado constantemente diversos acidentes desse tipo e tem sido comentário geral entre os
surfistas que frequentam a Macumba.Precisamos o quanto antes alinhar com as lideranças locais: Recreio Surfe Clube (entidade que representa oficialmente a Federação de Surf do Estado do Rio de Janeiro na região), Escolas de Surf, guarderias de pranchas, shapers, fabricantes de prancha, entre outros, afim de propormos medidaseficientes, eficazes e efetivas que possam evitar mais acidentes.

O crowd na Macumba  - Foto: Fedoca Lima

As principais causas desses incidentes, em consenso geral, tem sido o grande número de iniciantes em
todas as modalidades (pranchinha, pranchões, stand up, body board), totalmente despreparados e sem
a menor noção de posicionamento dentro d’água, instrutores de surf descredenciados sem a menor
noção de profissionalismo e legalidade, necessários para a importante função que estão exercendo,
podendo comprometer a integridade física, tanto de seus alunos quanto aos demais surfistas.

“Paz nas águas ao Surfistas de boa vontade”

Abílio Fernandes é  Surfista; Ambientalista; Ex-presidente da FESERJ; Ex-gestor dos Parques Naturais Municipais da Prainha e Marapendi; Morador do Recreio desde 1986;Pai do surfista Profissional, campeão brasileiro e tri-campeão carioca Gustavo Fernandes

Comentários