Australianos fazem a festa no último QS de 2019

WSL


 

 Wesley Dantas chamado de "Hunter" não transmissão da WSL.

Os australianos fizeram a festa na etapa final do WSL Qualifying Series, encerrada nesta segunda-feira no Havaí. Jack Robinson ganhou a Vans World Cup, fazendo o maior placar da história em Sunset Beach com dois tubaços, 19,07 pontos de 20 possíveis. Ethan Ewing também se classificou para o CT 2020, com o terceiro lugar na final contra dois havaianos, que valeu a liderança na Vans Triple Crown of Surfing. Ezekiel Lau precisava da vitória para se manter na elite e terminou em segundo lugar, com Cody Young em quarto. E outro australiano, Morgan Cibilic, foi premiado como o “Estreante do Ano” na Tríplice Coroa.

“Eu já estava pronto para ter entrado antes no CT, mas tudo acontece quando tem que acontecer”, disse Jack Robinson, que saltou da 22.a para a quinta posição no ranking, com os 10.000 pontos da vitória espetacular em Sunset Beach. “Eu trabalhei muito duro este ano para ficar bem posicionado no ranking. Eu venho surfando aqui há muito tempo e, talvez, Sunset seja meu amuleto da sorte. Eu não estava fazendo o meu melhor, mas na final as ondas vieram para mim e foi incrível, como se atingisse meu ápice na hora certa. Felizmente, deu tudo certo e eu estou pronto para o ano que vem”.


Lucas Chianca deu uma dura em vários top surfers - Foto: WSL

O australiano deu um verdadeiro show na grande final. Ele já liderava a bateria com dois tubos na casa dos 7 pontos, que depois trocou por 9,40 e um incrível 9,67 do tubaço que surfou no final, com um dos cinco juízes dando nota 10. Jack Robinson confirmou sua classificação para o CT 2020 com o maior placar da história em Sunset Beach, 19,07 pontos, contra 12,06 do Ezekiel Lau, 11,10 do Ethan Ewing e 8,70 do Cody Young. Com o terceiro lugar, Ethan Ewing também entrou na lista dos dez indicados pelo QS e assumiu a liderança na Tríplice Coroa Havaiana. Ele vai disputar a triagem em Pipeline para tentar ganhar esse título.

“É uma loucura, pois não esperava estar na liderança. Só queria surfar bem aqui e nem estava pensando em me classificar para o CT, porque cheguei no Havaí bem lá embaixo do ranking (41.o lugar)”, disse Ethan Ewing, que já fez parte da elite em 2017. “Na verdade, só queria conseguir passar algumas baterias, para aprender mais sobre as ondas daqui. Agora, vou ter a chance de disputar a triagem em Pipeline e vamos ver como será lá. Não tenho grandes expectativas em relação à Tríplice Coroa, mas estou muito feliz em conseguir uma vaga para voltar a disputar o Tour no ano que vem”.

Com a vitória Jack Robinson se classificou para o CT 2020 -  Foto: WSL

Diferente de Ethan Ewing, que chegou na Tríplice Coroa Havaiana numa longínqua 41.a posição no ranking do WSL Qualifying Series, Jack Robinson estava mais próximo da zona de classificação, em vigésimo lugar. Ewing já tinha feito pódio no Hawaiian Pro em Haleiwa Beach, onde ficou em quarto lugar e subiu para 17.o no ranking. Em Sunset, precisava chegar nas semifinais para entrar no G-10 e conseguiu isso numa dobradinha com Jack Robinson, com ambos barrando um compatriota do CT, Wade Carmichael, e o havaiano Ian Gentil.

BRASILEIROS EM SUNSET – Essa foi a penúltima quarta de final e na última competiram os dois últimos brasileiros na Vans World Cup. O campeão sul-americano de 2019, João Chianca, tinha passado junto com Jack Robinson nas oitavas de final, na bateria que o peruano Alonso Correa ficou em quarto e saiu da briga pelas últimas vagas no CT 2020. O outro era o paulista Weslley Dantas, destaque do domingo com o tubaço que surfou nos segundos finais do último confronto dia. Weslley venceu a bateria que fechou as oitavas de final, acabando com as chances do norte-americano Nat Young seguir tentando voltar ao CT.


Ezekiel Lau dependia da vitória para confirmar seu nome na elite em 2020. Com o vice, bateu na trave -  Foto: WSL

Nas quartas de final, os dois brasileiros surfaram melhor do que o outro californiano que estava na bateria, Kolohe Andino, que está na briga pelo título mundial em Pipeline. Só que o japonês Kanoa Igarashi pegou as melhores ondas para vencer por 15,07 pontos. João Chianca tinha começado bem, com nota 7,83 em sua segunda onda, mas Weslley Dantas conseguiu 8,47 na melhor dele, para ganhar a última vaga nas semifinais por 14,40 a 13,40.

Depois, os australianos Jack Robinson e Ethan Ewing surfaram as ondas boas da bateria contra Weslley, para se classificarem para a grande final. O ubatubense ficou em sétimo na World Cup e ganhou trinta posições no ranking, terminando em 33.o lugar. João Chianca ficou em nono na sua estreia em Sunset Beach e subiu 31, do octagésimo para o 49.o lugar. O único brasileiro que tinha chance de entrar no G-10 no último dia, era o paulista Jessé Mendes.

Jesse Mendes prepara o ataque -  Foto: WSL

ÚLTIMAS VAGAS NO CT 2020 – Jessé disputou o segundo confronto do dia e estava passando para as quartas de final até o minuto final da bateria, quando acabou sendo ultrapassado e terminando em terceiro lugar. O sul-africano Matthew McGillivray venceu a bateria e já assumiu a quarta posição no ranking. O australiano Morgan Cibilic surfou um tubaço nota 9,17 e passou junto com ele, sendo o primeiro a entrar no G-10 na segunda-feira.

O “Estreante do Ano” na Tríplice Cora, tirou o francês Jorgann Couzinet da lista. Depois, foi ultrapassado pelos finalistas, Jack Robinson e Ethan Ewing, que acabaram com o sonho do norte-americano Jake Marshall e do havaiano Barron Mamiya estarem no CT em 2020. Morgan Cibilic acabou em 11.o lugar no ranking final do WSL Qualifying Series, que classifica dez surfistas para completar a elite dos top-34 que disputa o título mundial.

Ele agora vai depender do brasileiro Deivid Silva, que está fechando o G-10 em décimo lugar. No momento, Deivid vai se garantindo para 2020 entre os 22 primeiros no ranking do CT, que dispensam a classificação pelo QS para o próximo colocado, que seria Morgan Cibilic. No entanto, Deivid está numa perigosa penúltima posição entre os top-22, então pode precisar da vaga no G-10 do QS para se manter na elite. Aí o australiano ficaria de fora.

Ethan Ewing -  Foto: WSL

CLASSIFICADOS PELO QS – Os brasileiros tinham vencido todas as etapas do QS 10000, antes das duas da Tríplice Coroa Havaiana, que fecharam o WSL Qualifying Series 2019 em Haleiwa e em Sunset Beach. Essas vitórias foram determinantes para o Brasil ficar com metade das vagas para o CT 2020, com o potiguar Jadson André em segundo lugar no ranking, o catarinense Yago Dora em terceiro e os paulistas Alex Ribeiro em sexto, Miguel Pupo em sétimo e Deivid Silva em décimo.

Os australianos têm três confirmados, Jack Robinson em quinto lugar, Ethan Ewing em oitavo e Connor O´Leary em nono. E ainda tem Morgan Cibilic que pode ser o quarto, caso Deivid Silva mantenha sua vaga pelo CT. Aí ficariam quatro classificados do Brasil e quatro da Austrália, com o português Frederico Morais campeão do QS 2019 e o sul-africano Matthew McGillivray, fechando a lista dos dez indicados pelo ranking de acesso esse ano.

DECISÃO EM PIPELINE – A relação final da elite de 2020 e o título mundial da temporada, serão decididos no Billabong Pipe Masters, que começa no dia 8 e vai até 20 de dezembro no templo sagrado do esporte, Banzai Pipeline. São três brasileiros na luta pelo troféu de melhor surfista do mundo em 2019, o potiguar Italo Ferreira liderando a corrida do título, com Gabriel Medina em segundo tentando o tricampeonato e o também paulista Filipe Toledo em quarto, com o sul-africano Jordy Smith, que mora no Havaí, entre eles.

Jack Robinson mostrou muito conhecimento quando se trata de tubos para a direita - WSL 

A batalha final entre o Italo, Medina e Filipe, também vai definir os dois classificados do Brasil para as Olimpíadas de Tokyo 2020 no Japão. Na outra ponta da tabela, são quatro numa briga direta para se manter na elite. Deivid Silva está em 21.o no ranking que garante os 22 primeiros colocados para o ano que vem. Ele até está tranquilo, por ter vaga no G-10 do QS para utilizar, caso saia dos top-22 no Billabong Pipe Masters.

Já os outros três, a única chance de continuarem na “seleção brasileira” em 2020 é pelo ranking do CT. O paranaense Peterson Crisanto é o último na lista dos 22, o catarinense Willian Cardoso é o primeiro fora da zona de classificação em 23.o lugar e o cearense Michael Rodrigues é o 24.o. Em 25.o, está outro brasileiro, o catarinense Yago Dora, que já garantiu sua permanência entre os dez indicados pelo QS. O paulista Jessé Mendes também está perdendo sua vaga no CT. Ele é 28.o colocado e já precisa chegar nas quartas de final em Pipeline, para superar os 20.290 pontos do último que está se classificando, Peterson Crisanto.

Cody Young  -  Foto: WSL

Mais informações, notícias, fotos, vídeos e todos os resultados do QS 10000 Vans World Cup podem ser acessadas na página do evento no calendário do WSL Qualifying Series no www.worldsurfleague.com

 

RESULTADOS DO ÚLTIMO DIA DA VANS WORLD CUP:

Campeão: Jack Robinson (AUS) por 19,07 pontos (9,67+9,40) – US$ 30.000 e 10.000 pontos

Vice-campeão: Ezekiel Lau (HAV) com 12,06 pts (6,23+5,83) – US$ 15.000 e 8.000 pontos

Terceiro lugar: Ethan Ewing (AUS) com 11,10 pts (6,27+4,83) – US$ 10.000 e 6.700 pontos

Quarto lugar: Cody Young (HAV) com 8,70 pts (4,67+4,03) – US$ 8.000 e 6.300 pontos

SEMIFINAIS – 3.o=5.o lugar (US$ 6.400 e 5.300 pts) e 4.o=7.o lugar (US$ 5.500 e 5.100 pts):

1.a: 1-Ezekiel Lau (HAV), 2-Cody Young (HAV), 3-Jacob Willcox (AUS), Stu Kennedy (AUS)

2.a: 1-Jack Robinson (AUS), 2-Ethan Ewing (AUS), 3-Kanoa Igarashi (JPN), 4-Weslley Dantas (BRA)

QUARTAS DE FINAL – 3.o=9.o lugar (US$ 4.500 e 3.800 pts) e 4.o=13.o lugar (US$ 4.000 e 3.600 pts):

1.a: 1-Ezekiel Lau (HAV), 2-Jacob Willcox (AUS), 3-Matthew McGillivray (AFR), 4-Gatien Delahaye (FRA)

2.a: 1-Stu Kennedy (AUS), 2-Cody Young (HAV), 3-Ryan Callinan (AUS), 4-Morgan Cibilic (AUS)

3.a: 1-Jack Robinson (AUS), 2-Ethan Ewing (AUS), 3-Wade Carmichael (AUS), 4-Ian Gentil (HAV)

4.a: 1-Kanoa Igarashi (JPN), 2-Weslley Dantas (BRA)3-João Chianca (BRA), 4-Kolohe Andino (EUA)

OITAVAS DE FINAL – 3.o=17.o lugar (US$ 2.600 e 2.300 pts) e 4.o=25.o lugar (US$ 2.200 e 2.100 pts):

1.a: 1-Ezekiel Lau (HAV), 2-Ryan Callinan (AUS), 3-Conner Coffin (EUA), 4-Connor O´Leary (AUS)

2.a: 1-Matthew McGillivray (AFR), 2-Morgan Cibilic (AUS), 3-Jessé Mendes (BRA), 4-Nolan Rapoza (EUA)

3.a: 1-Stu Kennedy (AUS), 2-Jacob Willcox (AUS), 3-Carlos Muñoz (CRI), 4-Michel Bourez (TAH)

4.a: 1-Cody Young (HAV), 2-Gatien Delahaye (FRA), 3-Jadson André (BRA), 4-Kelly Slater (EUA)

5.a: 1-Jack Robinson (AUS), 2-João Chianca (BRA), 3-Soli Bailey (AUS), 4-Alonso Correa (PER)

6.a: 1-Wade Carmichael (AUS), 2-Kolohe Andino (EUA), 3-Alejo Muniz (BRA), 4-Joan Duru (FRA)

7.a: 1-Kanoa Igarashi (JPN), 2-Ethan Ewing (AUS), 3-Seth Moniz (HAV), 4-Beyrick De Vries (AFR)

8.a: 1-Weslley Dantas (BRA), 2-Ian Gentil (HAV), 3-Nat Young (EUA), 4-Billy Stairmand (NZL)

G-10 DO WSL QUALIFYING SERIES – Final das 56 etapas de 2019:

01: Frederico Morais (PRT) – 26.400 pontos

02: Jadson André (BRA) – 23.800

03: Yago Dora (BRA) – 23.200

04: Matthew McGillivray (AFR) – 22.580

05: Jack Robinson (AUS) – 21.930

06: Alex Ribeiro (BRA) – 21.580

07: Miguel Pupo (BRA) – 21.000

08: Ethan Ewing (AUS) – 20.400

09: Connor O´Leary (AUS) – 19.650

10: Deivid Silva (BRA) – 18.650 é top-22 do CT

11: Morgan Cibilic (AUS) – 18.100

-------próximos sul-americanos até 100:

18: Samuel Pupo (BRA) – 17.140 pontos

26: Luel Felipe (BRA) – 12.930

27: Jessé Mendes (BRA) – 12.750

33: Weslley Dantas (BRA) – 11.580

36: Ian Gouveia (BRA) – 11.410

42: Alonso Correa (PER) – 10.360

43: Krystian Kymerson (BRA) – 9.580

47: Alejo Muniz (BRA) – 9.400

49: João Chianca (BRA) – 9.150

53: Tomas Hermes (BRA) – 8.950

56: Caio Ibelli (BRA) – 8.550

62: Wiggolly Dantas (BRA) – 7.760

63: Miguel Tudela (PER) – 7.740

66: Adriano de Souza (BRA) – 7.400

71: Flavio Nakagima (BRA) – 7.200

73: Lucas Silveira (BRA) – 7.000

75: Marco Giorgi (URU) – 6.800

79: Peterson Crisanto (BRA) – 6.550

85: Marcos Correa (BRA) – 6.380

95: Joaquin del Castillo (PER) – 5.720

98: Michael Rodrigues (BRA) – 5.600

100: Mateus Herdy (BRA) – 5.550

102: Thiago Camarão (BRA) – 5.400

Comentários