Colunista Gustavo Franck: Do limão, uma caipirinha

The Who, Grateful Dead, Jefferson Airplane, Janis Joplin e muito surfe


Depois do êxtase de 2015, com a vitória de Filipinho diante de um público enlouquecido e de fazer inveja aos maiores clássicos do ludopédio tupiniquim (e a WSL!), o ano seguinte não poderia ter sido mais infeliz: poluição, condições ruins, chuva, falta de público e bala perdida sintetizaram o anticlímax vivido e pior, o ocaso que se anunciava. Realmente difícil se contrapor a habitual má vontade gringa com a etapa brasileira...

Filipinho levou em 2015 - Foto: WSL

Em meio ao cenário mais do que preocupante, eis que surge Saquarema. A cidade, detentora do merecidíssimo título de Maracanã do surf, por diversas vezes hospedou etapas do QS em datas anteriores ou posteriores as do CT carioca. Aliás, com condições de onda infinitamente melhores do que as encontradas na Barra da Tijuca e que divertiram muitos gringos, na perna verde amarela. Mas uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa. O CT não só atrai as atenções dos olhares salgados de todo o mundo, como também demanda uma estrutura muito maior, dentro e fora do evento.

Muita responsabilidade e claro, preocupação com a notória omissão atávica do poder público por aqui, no tocante às suas atribuições em eventos desse quilate. Fica difícil se determinar com exatidão como começou o movimento para que os erros do passado não fossem repetidos, mas o que importa é que diante da oportunidade que se apresentava, Saquarema foi no mínimo impecável. A cidade abraçou a chegada do CT, envolvendo todos os entes envolvidos na empreitada, para que ela pudesse ocorrer da melhor forma possível. Assim, município, patrocinadores, comércio, população e surfistas deram as mãos em prol do mesmo objetivo. Resultado dessa equação: sucesso. Clima amistoso, organização dos serviços, preços praticados corretamente, população engajada, visitantes felizes.

Mineiro comemorou o título da etapa brasileira em 2018. Foto: WSL.

Para coroar tudo isso, a vitória de Mineirinho entre os rapazes. Em 2018 a história não foi diferente e com direito a plus: a final masculina, disputada na Barrinha, mostrou um dos melhores (senão o melhor) mar do CT no ano até aquele momento. Filipinho deu show nas pesadas direitas e garantiu que o título da etapa continuasse nos nossos domínios. Aliás, duvido que a WSL não esteja com olhos mais do que compridos no palanque alternativo... O Oi Rio Pro de 2019 abre seus serviços nessa quinta-feira, com feriadão e perspectivas de boas ondas. Tudo conspirando para que Saquarema dê mais um show de estrutura e mostre ao mundo seu DNA de puro surf.

A galera prestigiando o evento em Saquarema. Foto: WSL

Aos diversos protagonistas, gratidão pelo belo trabalho nos anos anteriores e muita atenção para que tudo continue acontecendo da forma correta. O nosso surf agradece. Vamos com tudo! Em meados de junho do incrivelmente longínquo ano de 1967, tinha início a primeira edição do Monterey International Pop, na California. O festival foi o precursor dos grandes eventos de música jovem, que culminariam dois anos mais tarde com a realização do mítico Woodstock.

Saquarema. Foto: WSL.

No line up, nomes do quilate do The Who, Grateful Dead, Jefferson Airplane, Janis Joplin, Jimi Hendrix e The Animals fizeram a cabeça de cabeludos e cabeludas. Ali, teve início o “Verão do Amor”, que marcou a contracultura e foi base para diversas conquistas que reverberam até hoje em nossa sociedade.

O lendário festival de Monterrey. Foto: reprodução internet

Os parabéns para Christian Bezerra, aniversariante de ontem ( domingo 16/6). Uma das figuras mais importantes da estrutura do surf mundial e um brasileiro que nos dá orgulho de termos como compatriota, ele é o responsável pelo diálogo entre os surfistas da elite com a WSL, representando os direitos, interesses e reinvindicações dos atletas junto a entidade. E como se não fosse o bastante, é craque no surf e campeão no quesito gente fina. Não à toa, veio ao mundo no mesmo dia em que o Monterey Pop. Viva!!!

YouTube:  https://youtu.be/aLbytlv02M8

https://youtu.be/WEaMka89dM4  - At last  (but never at least!).

Comentários