Decisão dos títulos mundiais no WSL Finals é adiada na quinta-feira em Trestles

SURF


 

IOs cobiçados troféus

A decisão dos títulos mundiais de 2021 no Rip Curl WSL Finals foi adiada no primeiro dia da janela do evento, que vai até 17 de setembro em San Clemente, na Califórnia, Estados Unidos. As previsões já indicavam que as ondas iriam estar pequenas na quinta-feira em Lower Trestles e uma nova chamada foi marcada para as 7h30 da sexta-feira na Califórnia, 11h30 no Brasil. Gabriel Medina, Italo Ferreira e Filipe Toledo tentam o pentacampeonato do Brasil na World Surf League, enquanto Tatiana Weston-Webb busca o primeiro título mundial feminino.

"É muito legal estar de volta a Trestles após 4 anos e as ondas aqui são incríveis", disse a vice-presidente de circuitos e competições da World Surf League, Jessi Miley-Dyer. "É uma onda de alta performance e todos os atletas também estão felizes em estarem aqui nessa decisão dos títulos mundiais. Só que hoje (quinta-feira), as ondas estão pequenas e não vamos colocar as baterias na água. Mas, a previsão está muito boa para os próximos dias e estamos muito animados, então faremos uma nova chamada amanhã pela manhã".

Medina, Tati e Ítalo - Foto: WSL

A expectativa é grande para esta inédita decisão dos títulos mundiais, que está sendo inaugurada no Rip Curl WSL Finals, com os top-5 e as top-5 do ranking do World Surf League Championship Tour se enfrentando em sistema de baterias mata-mata. Em 45 anos de história, esta é a primeira vez que os títulos mundiais serão decididos neste formato. Para os líderes, Gabriel Medina e Carissa Moore, foi preservada uma maior vantagem, com eles disputando uma melhor de três baterias, enquanto os demais só terão uma chance de avançar.

A batalha começa com quem ficou na quarta e quinta posições dos rankings. As mulheres abrem o Rip Curl WSL Finals, com Stephanie Gilmore enfrentando Johanne Defay e a disputa seguinte será entre Conner Coffin e Morgan Cibilic. Quem passar por estes primeiros confrontos, pegam os terceiros dos rankings, Sally Fitzgibbons e Filipe Toledo. Depois, os vencedores encaram os vice-líderes, Tatiana Weston-Webb e Italo Ferreira, nos duelos que definirão as decisões dos títulos contra Carissa Moore e Gabriel Medina. 

Baterias masculino

A havaiana busca seu quinto título, enquanto Medina vai tentar entrar em um seleto grupo de apenas cinco surfistas que foram campeões três vezes, desde o início do Circuito Mundial em 1976, Kelly Slater com seus 11 troféus de número 1 do mundo, o tetracampeão Mark Richards e os tricampeões Tom Curren, Andy Irons (in memoriam) e Mick Fanning. Dessa lista, Slater o único que ainda participa do World Surf League Championship Tour. 

BRASIL NO TOPO - Os brasileiros fizeram uma grande temporada esse ano, chegando nas finais de todas as sete etapas do WSL Championship Tour 2021 e ganhando cinco delas, incluindo as quatro da Austrália. O domínio se refletiu no ranking, com Medina ficando em primeiro lugar, Italo em segundo e Filipe em terceiro. Eles igualaram um feito que não acontecia desde 2009, com três surfistas de um mesmo país ocupando o topo do ranking final, com os australianos Mick Fanning, Joel Parkinson e Bede Durbidge.

Ítalo Ferreira é o atual campeão mundial da WSL - Foto: divulgação

Gabriel Medina entrou no CT em 2011, já anunciado como um novo fenômeno no esporte e tem comprovado isso ao longo dos anos. Em 2013 conquistou seu primeiro título mundial, na categoria Pro Junior. No ano seguinte, já se tornou o primeiro brasileiro a ser campeão do Championship Tour. Ele está em sua décima temporada na elite e desde seu primeiro título em 2014, termina entre os top-3 do ranking, sendo campeão de novo em 2018 e vice em 2017 e 2019. 

No México, Medina completou 100 etapas do CT disputadas desde 2011, chegando em 29 finais e festejando vitórias em 16 delas. As duas últimas na "perna australiana" deste ano, em Sidney e Rottnest Island. Ele também já ganhou 16 notas 10 na carreira, em tubos sensacionais, em ondas só com manobras de borda e com seus incríveis aéreos. No total, foram 414 baterias disputadas, vencendo 67,1% ou 278 delas. 

Seu maior adversário nestes 10 anos é Kelly Slater, com quem mais competiu e conseguiu mais vitórias, 14 das 20 baterias que se enfrentaram em 16 etapas. Gabriel agora está a apenas duas baterias de conseguir seu terceiro título mundial, para sacramentar o pentacampeonato do Brasil com um igualmente inédito tricampeonato consecutivo. Até agora foram dois bicampeonatos, com seu primeiro título seguido pelo do Adriano de Souza em 2015 e o segundo por Italo Ferreira em 2019.

TRANSMISSÃO AO VIVO - O Rip Curl WSL Finals está fechando a temporada 2021 do World Surf League Championship Tour com o patrocínio da Rip Curl, Jeep, Red Bull, Super 73, Shiseido, Oakley, DraftKings, Michelob ULTRA, IKEA, Expedia, Sambazon, Flying Embers e Waterloo. A decisão dos títulos mundiais de 2021 acontecerá em um único dia, no que tiver as melhores ondas em Lower Trestles no período do evento, que será transmitido ao vivo pelo WorldSurfLeague.com e pelo YouTube e aplicativo da World Surf League e pelos canais da ESPN Brasil.

Decisão dos títulos mundiais no Rip Curl WSL Finals é adiada na quinta-feira em Trestles

  • Próxima chamada as 7h30 da sexta-feira nos EUA, 11h30 no Brasil
  • Gabriel Medina, Italo Ferreira e Filipe Toledo lideram a corrida do título
  • Tatiana Weston-Webb tenta ser a primeira brasileira campeã mundial
Os troféus de campeões mundiais da World Surf League (Crédito: @WSL / Thiago Diz)
 
CLIQUE AQUI PARA BAIXAR FOTOS EM ALTA RESOLUÇÃO
CLIQUE AQUI PARA BAIXAR VIDEO NEWSFEEDS

LOWER TRESTLES, San Clemente, Califórnia (quinta-feira, 09 de setembro) – A decisão dos títulos mundiais de 2021 no Rip Curl WSL Finals foi adiada no primeiro dia da janela do evento, que vai até 17 de setembro em San Clemente, na Califórnia, Estados Unidos. As previsões já indicavam que as ondas iriam estar pequenas na quinta-feira em Lower Trestles e uma nova chamada foi marcada para as 7h30 da sexta-feira na Califórnia, 11h30 no Brasil. Gabriel MedinaItalo Ferreira e Filipe Toledo tentam o pentacampeonato do Brasil na World Surf League, enquanto Tatiana Weston-Webb busca o primeiro título mundial feminino.

"É muito legal estar de volta a Trestles após 4 anos e as ondas aqui são incríveis", disse a vice-presidente de circuitos e competições da World Surf League, Jessi Miley-Dyer"É uma onda de alta performance e todos os atletas também estão felizes em estarem aqui nessa decisão dos títulos mundiais. Só que hoje (quinta-feira), as ondas estão pequenas e não vamos colocar as baterias na água. Mas, a previsão está muito boa para os próximos dias e estamos muito animados, então faremos uma nova chamada amanhã pela manhã".

A expectativa é grande para esta inédita decisão dos títulos mundiais, que está sendo inaugurada no Rip Curl WSL Finals, com os top-5 e as top-5 do ranking do World Surf League Championship Tour se enfrentando em sistema de baterias mata-mata. Em 45 anos de história, esta é a primeira vez que os títulos mundiais serão decididos neste formato. Para os líderes, Gabriel Medina e Carissa Moore, foi preservada uma maior vantagem, com eles disputando uma melhor de três baterias, enquanto os demais só terão uma chance de avançar.

A batalha começa com quem ficou na quarta e quinta posições dos rankings. As mulheres abrem o Rip Curl WSL Finals, com Stephanie Gilmore enfrentando Johanne Defay e a disputa seguinte será entre Conner Coffin e Morgan Cibilic. Quem passar por estes primeiros confrontos, pegam os terceiros dos rankings, Sally Fitzgibbons e Filipe Toledo. Depois, os vencedores encaram os vice-líderes, Tatiana Weston-Webb e Italo Ferreira, nos duelos que definirão as decisões dos títulos contra Carissa Moore e Gabriel Medina

A havaiana busca seu quinto título, enquanto Medina vai tentar entrar em um seleto grupo de apenas cinco surfistas que foram campeões três vezes, desde o início do Circuito Mundial em 1976, Kelly Slater com seus 11 troféus de número 1 do mundo, o tetracampeão Mark Richards e os tricampeões Tom CurrenAndy Irons (in memoriam) e Mick Fanning. Dessa lista, Slater o único que ainda participa do World Surf League Championship Tour

BRASIL NO TOPO - Os brasileiros fizeram uma grande temporada esse ano, chegando nas finais de todas as sete etapas do WSL Championship Tour 2021 e ganhando cinco delas, incluindo as quatro da Austrália. O domínio se refletiu no ranking, com Medina ficando em primeiro lugar, Italo em segundo e Filipe em terceiro. Eles igualaram um feito que não acontecia desde 2009, com três surfistas de um mesmo país ocupando o topo do ranking final, com os australianos Mick FanningJoel Parkinson e Bede Durbidge.
Gabriel Medina e os vice-líderes dos rankings, Tatiana Weston-Webb e Italo Ferreira (Crédito: @WSL / Thiago Diz)
Gabriel Medina entrou no CT em 2011, já anunciado como um novo fenômeno no esporte e tem comprovado isso ao longo dos anos. Em 2013 conquistou seu primeiro título mundial, na categoria Pro Junior. No ano seguinte, já se tornou o primeiro brasileiro a ser campeão do Championship Tour. Ele está em sua décima temporada na elite e desde seu primeiro título em 2014, termina entre os top-3 do ranking, sendo campeão de novo em 2018 e vice em 2017 e 2019. 

No México, Medina completou 100 etapas do CT disputadas desde 2011, chegando em 29 finais e festejando vitórias em 16 delas. As duas últimas na "perna australiana" deste ano, em Sidney e Rottnest Island. Ele também já ganhou 16 notas 10 na carreira, em tubos sensacionais, em ondas só com manobras de borda e com seus incríveis aéreos. No total, foram 414 baterias disputadas, vencendo 67,1% ou 278 delas. 

Seu maior adversário nestes 10 anos é Kelly Slater, com quem mais competiu e conseguiu mais vitórias, 14 das 20 baterias que se enfrentaram em 16 etapas. Gabriel agora está a apenas duas baterias de conseguir seu terceiro título mundial, para sacramentar o pentacampeonato do Brasil com um igualmente inédito tricampeonato consecutivo. Até agora foram dois bicampeonatos, com seu primeiro título seguido pelo do Adriano de Souza em 2015 e o segundo por Italo Ferreira em 2019.

TRANSMISSÃO AO VIVO - O Rip Curl WSL Finals está fechando a temporada 2021 do World Surf League Championship Tour com o patrocínio da Rip Curl, Jeep, Red Bull, Super 73, Shiseido, Oakley, DraftKings, Michelob ULTRA, IKEA, Expedia, Sambazon, Flying Embers e Waterloo. A decisão dos títulos mundiais de 2021 acontecerá em um único dia, no que tiver as melhores ondas em Lower Trestles no período do evento, que será transmitido ao vivo pelo WorldSurfLeague.com e pelo YouTube e aplicativo da World Surf League e pelos canais da ESPN Brasil.

Comentários