Saquarema Surf Festival: João Chumbinho comanda o dia

As ondas diminuíram um pouco mais continuaram excelentes na Praia de Itaúna para um dia recheado de competições e emoções.


 

João Chianca - Foto:  Surfmappers-FlorYanez

As ondas diminuíram um pouco mais continuaram excelentes na Praia de Itaúna para um dia recheado de competições e emoções. Nesta quinta-feira, o Saquarema Surf festival teve disputas do Quiksilver Pro 3000, do Roxy Pro 3000 e ainda da terceira etapa do Longboard World Tour. A manhã foi reservada para finalizar o round de 64 do masculino, com a estreia dos últimos pré-classificados. Em seguida aconteceu a competição das meninas e a definição dos campeões do longboard. Enquanto João Chianca Chumbinho, Jessé Mendes e Samuel Pupo confirmaram o favoritismo, alguns favoritos se despediram já na estreia, como Adriano de Souza Mineirinho, Michael Rodrigues e Wigolly Dantas.Surfando em casa, Chumbinho não deu chances a ninguém e fez o maior somatório do dia, marcando 14 pontos. ( CONFIRA A GALERIA DE FOTOS DE QUARTA FEIRA 18/11)

O campeão mundial de 2015 Adriano de Souza perdeu em sua primeira bateria do QS 3000 Quiksilver - Foto: Surfmappers-FlorYanez

Marcos Correa, que também estreou nesta fase, ficou com a segunda vaga, com 10,26. Único brasileiro na zona de classificação para o CT 2022 no ranking da Challenger Series, Chumbinho já está pensando na etapa decisiva, em Haleiva.

“A cabeça está voltada para o Havaí mesmo, mas não poderia deixar de participar de um evento em homenagem ao meu ídolo, Léo Neves. É até difícil falar dele. Estou aqui para surfar pelo Léo, num evento que foi feito para ele, para surfar em casa, perto das pessoas que me viram crescer. Eu amo Saquaremas, estas ondas. Estou muito feliz de me apresentar diante da minha família e dos amigos. O Léo está aqui com a gente. Ele abençoa cada swell que entra em Itaúna”, disse Chumbinho, que está em sexto do ranking de acesso ao CT, comemorando também o fato de Raoni Monteiro, Daniel Templar e Heitor Máximo, surfistas de Saquarema, avançarem para a fase seguinte.

Diego Templar - Foto: Tony Dandrea

Outra bateria que teve domínio dos favoritos foi a 14ª, com Jessé Mendes e Samuel Pupo fazendo um duelo particular pelo primeiro lugar. Jessé levou a melhor com 13,93 pontos contra 13,33 de Pupo.

“Sabia que ele era o cara da bateria. O Samuel vem sendo, na minha opinião, o melhor surfista do QS e da CS da temporada, apesar de os resultados não terem aparecido tanto. É o cara mais completo em termos de surfe”, disse Jessé, explicando que usou a tática de pegar as ondas mais em baixo, mesmo sem prioridade, pois sabia que as paredes estavam mais bem formadas no inside. Jessé foi outro a lembrar Léo Neves.
Jessé Mendes - Foto: Surfmappers-FlorYanez

“Apesar de gerações diferentes, fiz muitas baterias com o Léo. Ele sempre me ensinou muito, me deu várias dicas. Apesar daquela aparência fechadona, tinha um coração enorme. Ajudava a todos no circuito. Merece esta homenagem”.

Antes das vitórias dos favoritos, as surpresas começaram logo na primeira bateria do dia, com a eliminação de Mineirinho e Lucas Chumbo, que terminaram em terceiro e quarto lugares respectivamente. Caetano Vargas, com 11,83 pontos, e Mateus Sena, com 11,43, dominaram a bateria desde o começo, sem se importar com a fama dos adversários. A bateria seguinte tinha na água o campeão e o vice da etapa da Praia Mole, Eduardo Motta e Michael Rodrigues, que praticamente se despediu da briga por uma vaga ao cometer uma interferência em sua primeira onda.
Caetano Vargas - Foto: Surfmappers-FlorYanez

Numa disputa muito acirrada Ryan Kainalo garantiu o primeiro lugar, com 11,67, e Pedro Dib virou na última onda para ficar com a segunda vaga ao marcar 10,86. Eduardo Motta terminou em terceiro, com 9,86, e Michael marcou 6,82.

“Eu sabia que não seria fácil. Nesta fase, tem de ser muito sólido em todas as baterias. E ainda teve a interferência no começo. Procurei ficar tranquilo, pegar minhas ondas. A prancha também está muito boa”, disse Ryan, que dedicou à vitória ao irmão Kalani, que faz aniversário.

Ryan Kanalo - Foto: Thiago Diz

FEMININO - Emoções também não faltaram no Roxy Pro 3000, inclusive com uma interferência decisiva numa das baterias mais esperadas do dia. Nos últimos segundos da segunda bateria, Summer Macedo já liderava com 11,43 pontos e a equatoriana Dominic Barona estava garantindo o segundo lugar. Dominic tentou fechar o caminho de Kyany Hyakutake numa onda claramente sem potencial, cometeu uma interferência de remada e perdeu uma de suas notas. Isabelle Nalu, a Bela Nalu, que não tinha nada a ver com a disputa, herdou o segundo lugar, com 9,70 e se manteve viva na competição.

Depoimento Bela Nalu

“Nossa!! Não estava escutando direito a locução, não sabia o que tinha acontecido. Só depois vi que rolou a interferência e acabei passando. Por Deus, nem estou acreditando. Este campeonato para mim é o mais importante que eu já participei na minha vida. Estou trabalhando muito este ano, me esforçando muito. Estou superfeliz que está valendo à pena”, disse Nalu, ainda falando um pouco sobre surfar em Saquarema.” Eu já surfei aqui quando eu tinha 12 anos, mas agora é outra história. Tem de focar, ver a onda de verdade. Estou adorando. Tem altas ondas. É o melhor pico de campeonato", disse.

Além de Nalu, de apenas 15 anos, outras surfistas da nova geração se mantiveram firmes na competição. Sophia Medina e Laura Raupp, também de 15, e Sol Carrion, de 16 anos, passaram para as quartas-de-final. Sophia, com 9,84 pontos, e Sol, com 9,76, avançaram na mesma bateria, a terceira, deixando a peruana Kalea Gervasi e a brasileira Julia Santos para trás.
Sol Carrion - Foto: Gerson Filho

Já Laura, campeão da etapa da Praia Mole, marcou 9,84 e ficou em segundo lugar na bateria seguinte, vencida por Larissa Santos, com 10,33. Nesta bateria, Silvana Lima, grande destaque da véspera, terminou em quarto. Nalu e Sophia já conseguiram ao menos repetir a mesma colocação da etapa da Praia Mole, o quinto lugar.

“Estou muito feliz por passar para as quartas-de-final, estar entre as cinco primeiras. Só tenho de agradecer a Deus pelas ondinhas que chegaram para mim. Tudo está muito legal. Minha prancha também funcionou bem, está soltinha”, disse Sophia.

As quartas-de-final ficaram assim: Arena Vargas (PER) x Isabelle Nalu; Daniella Rosas (PER) x Summer Macedo; Sophia Medina x Laura Raupp e Sol Carrion x Larissa Santos.

CONFIRA MAIS SOBRE O SAQUAREMA SURF FESTIVAL

Saquarema Surf Festival QS 3000: Herdy domina o expresso de Itaúna

Saquarema Surf Festival: muito equilíbrio no encerramento do round de 96 e alegria para o local Daniel Templar

Saquarema Surf Festival: peruano e americano são os destaques do primeiro dia no longboard

Saquarema Surf Festival começa com a categoria Longboard

Saquarema Surf Festival: Phil Rajzman fala sobre suas expectativas

Saquarema Surf Festival: Renan Pulga fala sobre suas expectativas

Saquarema Surf Festival já atinge 247 inscritos nas seis competições

213 Sports e WSL Latin America realizam o Saquarema Surf Festival

Confira o resultado das triagens para o Saquarema Surf Festival

Comentários