Uruguaio Marco Giorgi vence o QS 3000 de Taiwan

QS


 



Marco Giorgi

O uruguaio Marco Giorgi, que mora em Garopaba (SC), conquistou o título do QS 3000 Taiwan Open of Surfing nas ondas de Jinzun Harbour, nesta terça-feira em Taitung. Ele foi o único sul-americano a chegar nas quartas de final que abriram o último dia, com a vitória sobre o australiano Mitchell Parkinson, o levando da 111.a para a 68.a posição no ranking do WSL Qualifying Series. Como a etapa do QS 3000 só terminou na terça-feira, o início do Taiwan World Junior Championship, que decide os títulos mundiais da World Surf League na categoria Sub-18 nas mesmas ondas de Jinzun Harbour, ficou para a quarta-feira em Taiwan.

“Estou muito feliz agora, mas nem consigo acreditar que venci o campeonato ainda”, disse Marco Giorgi. “Eu senti que estava surfando bem durante todo o evento, mas fiquei bem nervoso na final com o Mitch (Parkinson). Ele vinha sempre tirando notas altas com os aéreos, então eu sabia que teria que fazer grandes manobras para derrotá-lo e estou feliz por ter conseguido. Essa é a primeira vez que eu venho para Taiwan e adorei. É um lugar incrível, com várias opções de ondas para surfar e as praias são tão bonitas como as do Havaí ou Taiti”.

Mitch Parkinson

O uruguaio não perdeu nenhuma bateria em Taiwan, com seu “power surf” se encaixando bem nas ondas fortes de Jinzun Harbour.  E ele precisou mostrar a potência das suas manobras, contra os adversários que enfrentou na terça-feira decisiva do Taiwan Open of Surfing. Foram três confrontos decididos por pequenas diferenças nos resultados. Nas quartas de final, superou o espanhol Andy Criére por apenas 11,63 a 11,24 pontos. Nas semifinais, também passou apertado pelo francês Marc Lacomare, por 12,67 a 11,10.

Na grande final, as ondas já não estavam tão boas como no início do dia e Marco Giorgi começou a bateria com nota 4,00. Depois, conseguiu um 4,90 na quarta onda que pegou e o australiano Mitchell Parkinson pulou à frente, com notas 6,00 e 5,23 em duas seguidas. Mas, o uruguaio ainda achou uma onda boa no final para mostrar o seu surfe, abrindo grandes leques de água a cada ataque e ganhou 6,67, para festejar a vitória por 11,57 a 11,23 pontos.



Marco Giorgi levanta o troféu

BRASILEIROS E COLOMBIANO – Dois brasileiros chegaram bem perto de também se classificarem para o último dia do QS 3000 Taiwan Open of Surfing. Os paulistas Victor Bernardo e Eduardo Motta, caíram na rodada classificatória para as quartas de final. O Dudu, que perdeu sua vaga no Mundial Pro Junior para Fernando Junior, no último dia do Circuito Sul-americano da WSL Latin America no Peru, ficou em 13.o lugar no QS de Taiwan. O vice-campeão, Mitchell Parkinson, passou a bateria com o também australiano Thomas Cervi.

Já Victor Bernardo, terminou em nono lugar por ter ficado em terceiro na bateria vencida pelo campeão Marco Giorgi. O francês Paul Cesar Distinguin acabou ganhando a última vaga para as quartas de final. Entre os três sul-americanos que vão disputar o título mundial no Taiwan World Junior Championship, o catarinense Lucas Vicente foi o único que aproveitou a viagem para também participar do QS 3000. O vice-campeão sul-americano estreou com vitória, mas perdeu na rodada seguinte, terminando em 25.o lugar no evento.


Giorgio Gomez

Outro destaque do pelotão sul-americano foi Giorgio Gomez. Ele é o único representante da Colômbia no Circuito Mundial da World Surf League e foi quem mais passou baterias em Taiwan. Foram cinco disputadas desde a primeira fase e só parou na quinta, quando três brasileiros também perderam, o já citado Lucas Vicente, o capixaba Rafael Teixeira e o paulista Renan “Pulga” Peres. Agora, toda expectativa em Taiwan fica para a decisão dos títulos mundiais da categoria para surfistas com até 18 anos de idade. Com Brasil e Peru na briga.

MUNDIAL PRO JUNIOR – Lucas Vicente vai estrear na segunda bateria junto com Raul Ríos, o primeiro peruano a conquistar o título sul-americano Pro Junior no ranking masculino da WSL Latin America. Os dois irão enfrentar ao havaiano Robert Grilho e o vencedor avança direto para a terceira fase, mas os dois perdedores têm outra chance de classificação na segunda fase. O outro concorrente do Brasil, Fernando Junior, está na quinta bateria com o francês Justin Becret e o australiano Xavier Huxtable, que competiram no QS 3000.




Eduardo Motta

Na categoria feminina, duas bicampeãs sul-americanas vão tentar trazer o primeiro título mundial Pro Junior para o continente esse ano. A campeã de 2019, Tainá Hinckel, foi escalada na primeira bateria e duas havaianas serão as primeiras adversárias da catarinense, Gabriela Bryan e Savanna Stone. A peruana Sol Aguirre vai estrear na quinta bateria, com a japonesa Sara Wakita e a portuguesa Mafalda Lopes.

Comentários